Pequenas anotações de viagens virtuais 9

por: Lucia Malla Antigos, Blog, Ciência, Links gerais, Melanésia

Bem-vindo à edição número 9 das pequenas anotações de viagens virtuais da Malla!

1) Uma notícia para ser pensada e refletida: nessa semana, de acordo com uma nota da ONU, uma comunidade da ilha de Tegua, em Vanuatu (Melanésia) foi a primeira a efetivamente ter que ser relocada por causa… da elevação do nível do mar. Os habitantes não podiam mais ficar em suas casas porque o mar invadiu a região costeira onde as mesmas estavam. 2 ilhas desabitadas do atol de Kiribati, no Pacífico, já haviam submergido em 1999, mas essa é a primeira vez que uma população precisa sair de seu local de origem. É o aquecimento global passando de hipótese num futuro distante para realidade preocupante da nossa era atual.

PAVV 92) Falando em oceano, vocês lembram do que escrevi aqui sobre biodiversidade marinha mundial? Pois é, a Scientific American recentemente publicou uma reportagem sobre o mesmo tema, só que agora com ênfase na biodiversidade brasileira. Pelo que está escrito lá, somos mais biodiversos em nossa lasca de oceano do que se imaginava antes – mas vale ressaltar, ainda não se compara à biodiversidade filipina.

3) O blog do Greenpeace está fazendo uma boa narrativa dos acontecimentos na reunião da Organização Mundial do Comércio, em Hong Kong. Muitos protestos, palestras e discussões. Mas o post mais divertido sobre esse evento veio do Sérgio Leo, correspondente do Valor Econômico Online, sobre suas experiências com a culinária asiática.

4) Está na moda ser pesquisador forense. Pelo menos, nos EUA, em decorrência do sucesso da série “CSI” – que eu particularmente adoro. A série fez aumentar o número de cursos de Ciência Forênsica nas faculdades do país inteiro, ao apresentar aos jovens um lado da prática científica bem empolgante, o da investigação de crimes; mas muito mais que só isso, “CSI” faz o espectador refletir sobre a necessidade de olharmos os fatos, de forma isolada, racionalmente. As evidências falam por si só, e os achismos não levam a nada durante o processo investigativo. O dado é o dado, e ele é mais forte que todo o resto. Apesar dos exageros – ninguém consegue fazer uma espectrometria de massa naquela velocidade… – considero o programa louvável como seriado. Longa vida a Grissom, Horatio, Mac e suas trupes de jaleco branco e distintivos.

(Minha amiga Leila já está cansada da série, o que é altamente compreensível. Eu só comecei a assistir “CSI” recentemente, e talvez daqui a alguns meses, quem sabe, eu me junte ao enorme time dos saturados… Por enquanto, estou em lua-de-mel com a TV. Vamos ver até quando.)

5) Um projeto divertido: método Macgyver de extração de DNA. Será que é assim que eles fazem para ensinar os atores do CSI? Brincadeiras à parte, a idéia é excelente para crianças de séries avançadas – vislumbro que caia como uma luva para a 8a série. Se algum professor de plantão quiser testar e me contar, ficarei imensamente grata por satisfazer minha curiosidade.

6) Duas vezes por mês, a blogosfera em inglês de ciência se aglomera em torno do Tangled Bank, uma iniciativa fantástica de blogagem coletiva científica. Eu adoro o Tangled Bank, que me traz entretenimento de alto nível. A cada round, um blog se propõe a ser o vice-organizador – sim, porque o organizador-mor é o incrível PZ Myers. A experiência só tem melhorado desde que comecei a ler, com cada vez mais blogs participando. Simplesmente delicioso. Nessa 43a edição, há dois posts que me chamaram a atenção: um sobre menstruação e outro que mostra até onde vai o narcisismo cômico de um cientista.

7) Já houve a dieta de Atkins e a dieta de South Beach – e quantas outras incontáveis. Mas, após uma ida ao barbeiro, Widson Reis resolveu criar a dieta termodinâmica. Hilário e divertido. E não, isso não é uma mensagem subliminar: é direta mesmo.

8) Depois que o Marmota publicou esse post, não consigo mais parar de fazer elocubrações sobre a Copa de 2006. Aliás, já entrei em clima de Copa, e quero mais que ela comece amanhã. Hexacampeão!!

9) Foi o Biajoni quem lançou a campanha e fica aqui a lembrança: os calendários do Hospital Boldrini estão à venda aí no Brasil. Ao comprá-los para dar de presente de Natal, as pessoas estarão contribuindo para um hospital que é referência mundial no tratamento de câncer pediátrico. Minha grande amiga Valéria é médica desses baixinhos, e conta sempre o quão difícil está a situação monetária da instituição. Quem puder (e quiser) contribuir, é uma boa escolha. As crianças, com certeza, agradecem.

10) E há um projeto em andamento, a reconstrução da cidade submersa de Atlantis, sendo realizado nesse momento nas ilhas Cayman. Um investimento turístico pra lá de maluco. Já estou viajando na maionese num post futuro: “Malla perdida em Atlantis”. Só falta o financiamento, porque o sonho já se instalou na caixola.

11) Descobri sem querer o blog de uma amiga do Rio, que nem sabe ainda que a leio. Ela é pesquisadora perspicaz, mas vamos ver quanto tempo levará para descobrir que eu a encontrei na internet.

Tudo de bom sempre para os que vivem sem rótulos, nessa geléia geral da vida globalizada.



107
×Fechar