Everest pelo Tibet em 2008: problemas à vista

por: Lucia Malla Antigos, China, Montanhismo

Os rumores que ano passado rondavam a comunidade montanhista e que foram devidamente desmentidos pelas autoridades chinesas aconteceram: o país não liberará visto até dia 10 de maio para nenhum estrangeiro escalar o monte Everest do lado tibetano. As equipes estrangeiras só poderão começar a chegar no acampamento-base após o dia 10 de maio, inviabilizando boa parte das tentativas, que em maio já estão a todo vapor. A Associação de Alpinismo do Tibet Chinês repassou a novidade no seguinte memo:

Imagem retirada do The Adventure Blog. Qomolangma é como os tibetanos chamam o Everest. O que mais me chamou a atenção no texto é o cuidado ambiental, que nunca houve anteriormente pela China, ser alçado a categoria de preocupação séria.

As expedições foram pegas de sopetão com tal medida do governo chinês, que havia prometido anteriormente não alterar o curso normal das expedições. Mas a notícia chegou hoje à mídia montanhista e é finalmente a Mãe-China mostrando suas garras olímpicas. Blogs, sites e fóruns montanhistas já reagiram com indignação perante a desagradável novidade. Alguns órgãos de imprensa também começam a noticiar tal medida.

A novidade, é claro, vem fantasiada da suposta necessidade da tocha olímpica chegar ao cume do Everest poucos meses antes do início oficial dos Jogos de Beijing, para facilitar a escalada do time chinês, etc. etc. Mas a manobra da China tem claras intenções que todo mundo que não vive em mundo cor-de-amarelo Gobi percebe: evitar que haja protestos pela libertação do Tibet, pela liberdade de imprensa, pelos direitos humanos, e mais tantas violações à vida nessa época de Olimpíadas, ou seja evitar o embaraço do governo chinês a qualquer custo. No ano passado, ativistas protestaram com uma faixa que dizia “Free Tibet” no acampamento-base do lado norte, demonstração que se alastrou pela internet mundial e que gerou mal-estar em Beijing. Dessa vez, o governo quis cortar o mal pela raiz antes mesmo dele ser semeado, da forma autoritária como frequentemente age. Entretanto afetou muitos ocidentais e esportistas que já estavam preparados para a escalada como todos os anos acontece. Mas como bem disse esse artigo opinativo do MountEverest.net:

“Signs are often early, but they are always there. What happens on Everest can happen anywhere.”

Para os montanhistas que já tinham suas expedições prontas (muitos já estavam na região se preparando pro longo processo de aclimatação), essa nota oficial veio com um gosto salgado de lágrima. Da lista oficial de expedições dessa temporada, pode ser que 2 1 expedição com alpinista brasileiro tenha saído prejudicada dessa manobra: a tentativa de escalada solo de Rodrigo Raineri (UPDATE: não será prejudicada porque Rodrigo decidiu subir pelo Nepal), e a de Daniela Teixeira sem oxigênio suplementar e sem sherpa (correção: Daniela é portuguesa. Falha minha.). O casal Paulo e Helena Coelho tentarão de novo sem oxigênio suplementar, mas não foram afetados pela decisão chinesa porque escalarão pelo lado nepalês – embora a China tenha tentado impôr ao Nepal a mesma política, que este país recusou prontamente. (UPDATE: Apesar de constarem na lista oficial de escalada dessa temporada, o casal não mais irá ao Himalaia em 2008.)

Mas para mim, acima de tudo, fica a curiosidade maior: o que será que os chineses farão para deter um possível protesto de turistas estrangeiros, atletas e afins que ocorra durante as Olimpíadas? É aguardar até as Olimpíadas para ver.

Tudo de Everest sempre.

***********

– Nessa temporada, os brasileiros Waldemar Niclevicz e Irivan Gustavo Burda também estarão no Himalaia, mas em outra montanha. Tentarão escalar o Makalu, um dos 14 picos mais altos do mundo.

– Em torcida paralela na temporada 2008 no Himalaia, estarei de dedos cruzados por Inaki Ochoa, um dos grandes montanhistas da atualidade, que tentará o dificílimo Annapurna – essa é uma das montanhas que proporcionalmente mais matam no mundo.

– Li primeiro essa complicada notícia lá no Levi.

UPDATE DEPRÊ DE 15/março: O Nepal acabou de fechar também o lado sul para escalada até 10 de maio. Ninguém que não seja a equipe da tocha sobe o Everest até 2a ordem. Virou zona a temporada de escalada desse ano.



105
×Fechar