Mergulho autônomo no rio da Prata

por: Lucia Malla Bonito & Pantanal, Brasil, Esportes, Mergulho, Viagens

Quando a gente fala de rio da Prata em Bonito, há uma unanimidade: é a melhor flutuação da região – e do Brasil. E muito por causa da quantidade de peixes que vemos durante as 2 horas de descida entre a nascente do Olho D’água até a arquibancada final já no rio da Prata. Entretanto, de uns tempos para cá, foi introduzido o mergulho autônomo no rio da Prata. Assim que soube da novidade, antes mesmo de pensar em visitar Bonito de novo, a primeira pergunta que me veio à cabeça foi: para quê?

Por que mergulhar no rio da Prata em Bonito?

Porque, analisando friamente, na flutuação a gente já vê muita fauna e cenários fantásticos; além da profundidade máxima do rio ali na região do Recanto Ecológico ser de apenas 7m. Então… para quê gastar energia mergulhando?

Apesar da minha incredulidade, fui checar a tal atividade em nosso penúltimo dia de viagem a Bonito. Apesar do frio da manhã nublada (devidamente sanado com muitas xícaras de café), fui encarar mais essa aventura em Bonito.

Como é o mergulho no rio da Prata

Diferente da flutuação, o mergulho é feito integralmente no rio da Prata, não passando em momento algum pelo Olho D’água – que é muito raso. Nosso divemaster João explicava o que veríamos naquele trecho, o quão raso ficaríamos em certos pontos, e eu ainda meio incrédula de que aquilo seria um bom mergulho. Saímos então de uma das plataformas de apoio que existe no Prata e ali percebi que a temperatura da água estava mais agradável que a do ar, o que me trouxe “felicidade térmica”.

Mergulho autônomo no Rio da Prata

Preparativos para o início do passeio sub…

Quando descemos ao fundo, aquele mergulho supostamente “água com açúcar” começou a fazer mais sentido para mim. Com um tanque nas costas e completamente submerso, independente da corrente te levando rio abaixo, dá para a gente se aproximar mais das margens e se enveredar com mais calma pelos troncos e galhos, procurando peixes (e quem sabe uma sucuri), fuçando buraquinhos e admirando mais de perto algumas espécies que não se aproximam da superfície. Como o cascudo, por exemplo.

Fauna do rio da Prata

Das 90 espécies já registradas no Planalto da Bodoquena (onde fica Bonito), pelo menos 24 podem ser avistadas especificamente em Bonito. Embora nem todas numa só flutuação/mergulho. Apesar do número, a vantagem de se mergulhar em Bonito está na visibilidade da água, claríssima, o que é raro em águas doces do Brasil.

Se a flutuação no Prata é dominada por piraputangas, dourados e curimbatás, no mergulho temos a oportunidade de ver, além destes, também os cascudos entocados. E perceber o quanto eles são rápidos em se esconderem ao ver uma pessoa chegando. Além do cascudo, podemos observar também a joaninha (Crenicichia lepidota) e o canivete (Leporinus striatus), peixes pequenos que se alimentam no fundo; e o piavuçu (Leporinus macrocephalus), que em geral fica debaixo da vegetação aquática.

Mergulho autônomo no rio da prata - peixes

Piavuçus.

Fauna rio da prata - Bonito MS

Peixe canivete.

Mergulho autônomo no rio da Prata - Bonito - peixe cascudo

Cascudo descansando num toco de madeira.

Mergulho autônomo no rio da Prata - peixe joaninha

Peixe joaninha.


Reserve seu hotel em Bonito pelo Booking.

Alugue seu carro em Bonito com a RentCars. 

Compre sua passagem até Bonito com a Viajanet. Parcelamento em até 10 vezes.

Proteja sua viagem a Bonito com um seguro de viagem da Seguros Promo.


As formações no fundo do rio

Mas nem só da fauna diferente vive o mergulho autônomo no Prata. A proximidade das formações de pedra e dos galhos mais retorcidos, dos verdadeiros paredões de raízes vistos de baixo, é uma visão que impressiona muito. Lembrei-me daqueles mergulhos em naufrágios, cheios de encrustrações esculturais. Entretanto, aqui é tudo natural. Não há estrutura de metal servindo de substrato e sim madeira em decomposição, e plantas verdes, e peixinhos e insetos. É emocionante.

Mergulho autônomo no rio da Prata

Debaixo de troncos e galhos retorcidos do fundo, os peixinhos mais tímidos são achados…

Mergulho autônomo no rio da Prata

Mergulho raso, emoção profunda

Há trechos em que o rio fica mais raso e é extremamente bizarro estar com tanque de ar tão próximo à superfície. Mas na maior parte do tempo, ficamos num fundo muito tranquilo e rodeado dessas esculturas naturais. Elas fazem toda a diferença para a paisagem, modificando bastante nossa visão do passeio pelo rio da Prata – para melhor.

Mergulho autônomo no rio da Prata

Há áreas muito rasas por onde a gente passa. Portanto, é preciso cuidado redobrado para não perturbar o fundo. No geral, entretanto, o mergulho se estringe em média a uns 4m de profundidade, onde há muito para se ver.

Mergulho scuba no rio da Prata

Saí da água muito satisfeita. O mergulho não só vale a pena como atividade extra. Ele traz uma nova perspectiva sobre o rio da Prata, diferente da que mais de 90% das pessoas vê. Aos que gostam de visões beeem diferentes do ambiente natural, recomendo com afinco. 😉

Tudo de bom sempre.

P.S.

  • Os passeios feitos em Bonito em outubro/2008 pela blogueira foram apoiados (#ap) pela Bonito Brazil.


342
×Fechar