Orelhões do Brasil – atualização pós-viagem

por: Lucia Malla Antigos, Brasil, Cotidiano, Mallices, Viagens

Cada maluco com sua mania. Eu tenho a minha: colecionar fotos de orelhões  do Brasil diferentes.

Nessa última viagem, vimos não só orelhões, mas latas de lixo engraçadinhas também. E uma constatação: estes artefatos enfeitados estão “desaparecendo” das ruas brasileiras. Por um motivo simples: a popularização do celular. Ninguém mais precisa usar um telefone público, eles são cada vez menos funcionais, apenas decorativos e aos poucos estão sendo eliminados da paisagem urbana. Fica uma pontada de nostalgia em mim, mas é o progresso urbanístico, né? 🙁

Eis aí o apanhado geral dos orelhões e lixeiras da viagem e onde foram avistados cada um deles – enquanto ainda existem.

Estes já são os orelhões “clássicos” de Bonito, junto com os de onça e tucano, que não fotografamos dessa vez. Essas 2 araras estavam com aparência de recém-restauradas, por isso a foto.

Não sei se é um orelhão antigo ou não, mas eu só o vi nessa viagem, portanto pra mim é “novo”. 😀 A garça está no Balneário Municipal de Bonito.

Orelhões do Brasil

A localização desse orelhão de pacu me deixou em dúvida, pois não anotei exatamente a cidadezinha. Mas é ou Pato Bragado ou Entre Rios D’Oeste, ambas no Paraná, na fronteira com o Paraguai.

Numa cidade que é toda chique, orelhões também devem ser chiques. Em Gramado (RS), encontrei estes 2 modelos de orelhão: com telhadinho e com casinha completa de madeira. Muito aconchegantes.

O conjunto de lixeiras enfeitadas foi avistado no Balneário Municipal de Bonito. Achei engraçadinhas.

Não gostei do design da lixeira da Oktoberfest de Blumenau deste ano. A portinha da casa alemã é onde você coloca o lixo, mas como pode perceber, há copos plásticos pelo chão, porque depois de 5 cervejas, não tem quem acerte o copo naquele buraquinho. Por que não deixaram sem porta? Ficava mais fácil para manter o lugar limpo.

Vi estas 2 lixeiras no Marco das 3 Fronteiras, em Foz do Iguaçu. Elas estão no lado brasileiro, onde, aliás, está sendo construída uma torre dessas bem altas com vista panorâmica – diz a propaganda que vai dar pra ver as Cataratas, beeem longe dali. Aguardemos.

Essa foto tem uma história tragicômica. Estávamos dirigindo por Campo Grande (MS) quando avistei no meio da praça esse orelhão e falei: “Vamos lá fotografar!” Fui toda empolgada tirar o telefone do gancho da garça, e não me dei conta que um ninho de vespas estava alojado ali. A foto foi tirada depois que as vespas começaram a me incomodar. Felizmente, nenhuma picada, só o susto. E a certeza de que ninguém usa muito esse telefone público… 😀

Tudo de bom sempre.



124
×Fechar