10 músicas que me fizeram ser

por: Lucia Malla Antigos, Mallices, Memes, listas & blogagens coletivas, Música

O Doni postou sobre as músicas que moldaram a personalidade dele. Ele escreveu:

“Este pequeno romance que escrevemos todos os dias e chamamos de vida sempre tem uma trilha sonora. Mas, mais do que “acompanhar a ação”, as músicas podem ser as grandes responsáveis por determinados turning points que, no fim das contas, nos fazem ser quem nós somos.”

Como eu concordo com a idéia, resolvi memeficar a idéia do Doni. Faz mais sentido ainda depois de uma semana pra lá de atribulada; cansada que estou, nada como um refresco musical que te leve a relembrar os caminhos da sua vida até agora. Eis aí abaixo as 10 músicas que me fizeram ser a malla que sou, de alguma forma (ou as 10 que me lembro agora). Incrivelmente, quase todas elas têm um quê de liberdade, de otimismo ou de mobilidade. Viagens musicais? Ei-las.

10) União da Ilha: “É hoje” [muitas madrugadas acordadas na infância assistindo aos desfiles das escolas de samba do Rio. É minha recordação número 1 de carnaval quando criança, a farra que se instaurava na sala de casa noite adentro, rindo. Lembrança que me ensinou a apreciar sempre com olhos de criança a alegria popular. O link leva a uma pedaço da transmissão da Globo daquela época.]

9) P.O.D.: “Alive” [Foi a trilha sonora de um grande turning point. Quando, há 7 anos, pulei de pára-quedas e percebi que precisava mudar tudo na minha vida, recomeçar do zero. Uma música que me dá uma sensação de liberdade enorme.]

8) The Beatles: “Eight Days a Week” [Ah, a pré-adolescência na beira da praia, nas rodinhas de violão, cheia de esperanças, curiosidades por um mundo a ser ainda descoberto…]

7) Chick Corea Akoustic Band: “Morning Sprite” [muitas madrugadas sentada na calçada do Recanto dos Vagabundos conversando e aprendendo com grandes amigos a ouvir com carinho, atenção e emoção o que as pessoas têm a dizer.]

6) Stockhausen: “Helicopter String Quartet” [Descobrindo São Paulo, sua vida über-urbana e tomando as lições que ela imprimiria em mim.]

5) Frank Zappa: “G-spot tornado” [Entendendo a importância da crítica. Momentos de explosão de pensamento, quando percebi que estar aberta às novidades, tentar entendê-las, era a melhor maneira de encontrar a minha realização.]

4) Jaco Pastorius: “Teen Town” [Acordando para o mundo aqui fora e amando cada detalhe que ele revela. E eu sei, essa música é do Weather Report, não só do Jaco. Mas foi a versão dele que me marcou. Aliás, todas as músicas dele, e essa só ilustra um momento definitivo de descobertas. Mas todas as outras poderiam entrar aqui; sendo interpretada pelo Jaco, não interessa qual, é tudo lindo.]

3) Jack Johnson: “Bubble toes” [Rodas de violão com ‘ukulele, a descoberta de que momentos de tranquilidade da vida não têm preço. E que me fizeram almejar uma vida mais equilibrada, em harmonia com o ambiente ao redor.]

2) Hermeto Pascoal: Viajando pelo Brasil [Liberdade é tudo na vida. Foi o Hermeto quem me ensinou a apreciá-la, com toda a criatividade e liberdade que têm ao manejar as notas musicais. Esse clipe em particular me é muito querido porque foi gravado em Viçosa, 1988 e colocado na web pelo Jovino Santos Neto, que tocou muito tempo com o Hermeto…]

1) Pat Metheny: “First circle” [Eu sempre brincava que se o céu existisse mesmo, era essa música que tocavam na nossa “bendita” recepção. Uma música que me faz acreditar num mundo melhor, que me tira da tristeza toda vez que ela insiste em aparecer, que me dá uma esperança crescente na beleza da vida. É minha música predileta de todos os tempos, todos os momentos, todas as emoções.]

Tudo de músicas na vida de todos sempre.



97
×Fechar