O surfe em Pohnpei

por: Lucia Malla Estados Federados da Micronésia, Ilhas, Micronésia, Surfe, Viagens

Quando estivemos em janeiro em Pohnpei, num dos dias fomos apreciar o surfe. Afinal, era “inverno” (entre aspas porque o calor era equatorial-nada-invernal), a melhor época para surfar na Micronésia. Não podíamos perder a oportunidade de ver umas ondas perfeitas de perto.

Mas antes, um (talvez longo) adendo. Surfar por lá requer uma logística razoável. Por causa da geografia da ilha, que não tem praia de areia branquinha – isso mesmo, uma ilha micronésia sem “praia”! quase uma afronta, não é mesmo? – para chegar ao point onde as ondas quebram, você precisa ir de barco. Se olharem a geografia da ilha, entenderão o que digo:

O mapa ao lado foi tirado de um folheto de turismo local e mostra o topo da montanha que é a ilha hoje. Maior parte da montanha está submersa; as áreas de encosta superiores formam o anel de recifes ao redor da ilha, e em todas as ilhas do país micronésio, essa é a geografia básica – algumas ilhas têm o anel de recifes mais afastado da costa, outras bem próximas (tem uma foto neste post que mostra como em Kosrae é perto), mas todas as ilhas micronésias têm. Em Pohnpei, o anel é relativamente afastado, e é depois do anel de recifes onde ficam as melhores ondas – porque o mar é ali efetivamente aberto. Dentro da laguna, o mar é praticamente uma piscina.

Por isso, a necessidade de barco, pra te levar até depois do anel de recifes. E, no caso de Pohnpei, as melhores ondas quebram no Palikir Pass (ou P-pass), no mapa abaixo indicado por uma seta vermelha.

(Mapa fotografado da parede do Pohnpei Surf Club. Adicionei a seta e o asterisco.)

E como organiza o surfe em Pohnpei?

Então que para quem quer curtir o surfe em Pohnpei, o ideal (e solução usada por virtualmente todos os surfistas campeões mundiais que passam por lá), é “fazer” um SurfCamp. Por um pacote fechado de preço, você paga hospedagem, refeições, amenidades e principalmente o barco pra te levar ao Palikir Pass (ou a outro point que lhe interesse de surfe), e ainda pode fazer algumas outras atividades, como pesca em alto-mar, mergulho, snorkel, kite surfe, excursões a atóis e ilhas próximas, enfim, um rol de aventuras. Em Pohnpei, apenas uma empresa faz esse tipo de pacote voltado totalmente para surfistas, o Pohnpei Surf Club (no mapa, um asterisco preto indica aproximadamente onde ele fica, no município de Nett, onde também fica a cidade mais populosa da ilha, Kolonia).

Nós não fomos para Pohnpei para surfar, nosso intuito era o mergulho e visitar nossos amigos. Mas, como era época de surfe em Pohnpei, em um dos dias queríamos ver qual era das tais “ondas perfeitas do Palikir”. Então fomos com o Pohnpei Surf Club por um dia ao Palikir Pass. O dia estava meio nublado, com uma chuvinha chata, mas em Pohnpei chove quase todo dia, e depois abre o sol forte, então nenhuma novidade até aí. O mar estava interessante, ondas não muito altas, ideais para have fun.

Chegando no Palikir Pass, os surfistas (maioria australianos) caíram na água. Altos cutbacks!

A gente está acostumado com barco de mergulho, cheio de tanques, pés-de-pato e pesos de chumbo pra tudo quanto é lado. Num barco de surfe, as pranchas tomam o lugar dos tanques, e a parafina é a moeda local.

André foi pra perto do anel de recifes fotografar o momento em que a onda quebra sobre a barreira de corais – uma das fotos resultado dessa aventura já apareceu aqui antes.

Reparem no André no canto da foto. Contratempo de fotografar a onda por baixo: uma delas quebrou em cima dele e ele perdeu o pé-de-pato. 😛

Eu aproveitei o momento relax para descansar. Dei uma nadadinha perto do barco, depois subi e fiquei admirando a paisagem das montanhas ao longe enquanto tomava sol. Vida difícil… 😀

Dependendo do nível das ondas no dia, os barcos vão e voltam ao Surf Club. mas nunca está cheio. Nas palavras no site do PSC:

“On most days during our surf season the Pohnpei surf scene is comprised of around 10 to 20 laid back surfers on the whole island. During the off season you will be lucky to find someone to surf with at one of the off season spots or on a odd day at P-Pass.”

No dia que fomos, como as ondas estavam marromenos pros surfistas calibrados, o barco nos levou de volta para almoçarmos em terra, e depois voltou pro Palikir Pass pro turno da tarde de surfe. Mas, se o surfe está bom, diversos barcos levam almoço e os surfistas podem literalmente ficar na água o dia todo, pois os barcos de apoio estarão por ali.

A frota das ondas.

Eu curto ver surfe, então gostei de passar o dia assim, entre as ondas. Recomendo.

Tudo de bom sempre.

**************

– O proprietário do Pohnpei Surf Club é o Allois (na foto acima, em um de seus barcos), coincidentemente um brasileiro que morou por muitos anos no Havaí e agora se “esconde” na Micronésia. Ele é gente fina, pessoa de poucas palavras e muita ação, que ajuda bastante a divulgar o surfe na região. Mais coincidência ainda, vizinho de porta da casa dos nossos amigos, onde ficamos hospedados.

– A quem interessar, o Pohnpei Surf Club tem um blog (escrito pelo Allois) e uma página no facebook. As fotos das ondas possíveis no P-pass são de dar água na boca, babem lá.

Saiba mais sobre como mergulhar em Pohnpei.

Conheça outra atração mundial de Pohnpei, as ruínas de Nan Madol.

Parceria Malla: reserve seu hotel na Micronésia pelo Booking.com.

Parceria Malla: alugue seu carro na Micronésia pelo RentCars.



221
×Fechar