As estátuas do Kamehameha

por: Lucia Malla Big Island, Havaí, Oahu, TV, Viagens

Antes de ser um estado americano, o Havaí era, como sabemos, um reino. E na história monárquica havaiana, um nome se repete: Kamehameha. Na realidade se repete porque houve Rei Kamehameha I, II, III, IV e V – e a gente às vezes para encurtar e facilitar os chama de Kam.

Estátua do Rei Kamehameha I em Honolulu.

Pois foi Kamehameha I, o Grande, que unificou as ilhas havaianas (até então governadas cada uma por seu chefe – Kahuna) e formou o reino do Havaí, em 1810. Por conta desse feito unificador, Kamehameha I é nome importante na história do estado e há pelo menos 5 estátuas do Kamehameha famosas, espalhadas pelas ilhas.

A mais visitada de todas, hoje, é a que está em Oahu. Fica na frente do Ali’iolani Hale, no centro de Honolulu, que é um prédio da prefeitura onde se faz carteiras de identidade e funciona um pequeno tribunal. E agora é ponto famoso também na TV: virou o QG dos “Hawaii 5-0” e aparece sagradamente em todos os episódios da série.

Ali’iolani Hale e a estátua famosa, no centro de Honolulu.

É uma estátua pintada em dourado, foi presenteada à cidade de Honolulu pelo rei da época, Kalakaua. No feriado do Kamehameha (11 de junho, hoje!), a estátua é coberta com colares de flores havaianas, em honra ao antigo rei. É bonito de ver.

Entretanto, a estátua com a história mais interessante fica na Big Island, em Kapa’au, vilarejo mais ao norte da ilha. Poucas pessoas vão passear por aquelas bandas, e este era um dos poucos pontos da Big Island que a gente nunca tinha ido. Então, na nossa última visita à Big Island, incluímos uma esticada até ela. (É um certo commitment chegar à Kapa’au, que fica bem fora de mão das maiores atrações da ilha.)

Enfim, a estátua está nesse fim de mundo ilha porque supostamente foi ali que Kamehameha I nasceu. Num painel atrás da estátua está contada a história bizarra do monumento, que resumo aqui.

Estátua do Kamehameha I em Kapa’au, Big Island.

A estátua foi feita pelo mesmo escultor da que está em Honolulu, o bostoniano Thomas Gould que morava então em Florença, na Itália. Há mil e uma voltas nessa história, mas fato é que a estátua dourada que Gould fez especialmente para o palácio real em Honolulu tinha que ser transportada da Itália até o Havaí (uma viagem que hoje de avião já é punk, imagine na época…). De navio, claro. E o navio ia dar a volta pelo estreito de Magalhães, lá na pontinha da América do Sul, para chegar ao Pacífico. Então que perto das Malvinas, o navio teve problemas e afundou. E a estátua desapareceu no mar.

Eis que, coincidência das coincidências, um dia passando pelas Malvinas, um capitão que já havia estado pelo Havaí na vida, reconheceu a estátua na vitrine de uma loja local. Bastante danificada, mas de pé. O capitão comprou a estátua por 500 dinheiros da época. E devolveu, por 875 dinheiros, para o Havaí.

Estátuas do KamehamehaNesse meio-tempo, claro, o rei havaiano já havia encomendado outra estátua para o palácio – é a que hoje aparece no “Hawaii 5-0″. Quando soube da recuperação da original, decidiram colocá-la em Kapa’au, onde Kamehameha I nasceu. É essa a estátua que hoje fica em frente a um prédio do governo local, em frente a uma bibliotequinha simpática, no meio do caminho de uma estrada que liga o vilarejo de Hawi aos penhascos belíssimos da costa nordeste da Big Island.

Ficamos menos de 30 minutos admirando a estátua original em Kapa’au, curiosos que estávamos pelos penhascos. Mas há um bucolismo tão grande no ar neste ponto da ilha, que parece que fazemos uma viagem no tempo também, de volta ao reino havaiano. Um raro ponto oficial nos EUA onde a bandeira americana tem importância menor, dando espaço para a havaiana, que tremula lá do ladinho da estátua.

Vale a visita se você tem muitos dias na Big Island e curte… estátuas históricas. 🙂

Tudo de bom sempre.

********************

– Essa é a bibliotequinha em frente à estátua… não é uma viagem fofa?

 

 

Booking.com



128
×Fechar