Feedback de viagem: o Havaí do Frederico

por: Lucia Malla Amigos de viagem, Big Island, Havaí, Lanai, Maui, Oahu

Recebi esta semana um email de feedback do Frederico Portella, que acabou de voltar de uma viagem pelo Hawaii. Ele agradecia pelas dicas do blog e pelos emails que trocamos quando ainda organizava a viagem. O relato do Frederico era rico em detalhes e passeios beeeeeem diferentes (Vodka havaiana? Paraglide em Maui? Tour em Lanai?), com ótimas dicas – já anotei o telefone do Gouveia no meu caderninho! Então pedi permissão a ele para compartilhar aqui com todo mundo. Ele foi gentil o suficiente para não só permitir, como fornecer fotos ótimas da viagem que fez com a namorada. Leiam e viajem com ele!

Frederico, mais uma vez, muito obrigada pela gentileza! O blog agradece de coração! 🙂

****************************

Estou retornando para dar um feedback da minha viagem!

Realmente o Hawaii é o “Paraíso’! Através das dicas do seu blog visitei diversos lugares fantásticos.

OAHU:

Fiquei em Waikiki, lugar urbanizado como outra cidade grande, mas sempre tudo muito limpo, organizado, seguro e badalado. Fiquei num hotel chamado Polynesian Plaza, simples mas bom pelo preço pago, e muito bem localizado, ao lado do Hard Rock Café e bem no centrão de Waikiki. A desvantagem é que não tem estacionamento nem internet wi-fi gratuitos (tem internet paga). O estacionamento é num prédio bem pertinho, muito seguro e com taxa de US$ 20,00 por dia.

O local é bacana para dar uma volta, curtir a horda de turistas e ver a famosa praia de Waikiki.

Fui a Pearl Harbor e ao Memorial Arizona. Lugar de lembranças tristes, mas como sou interessado em assuntos da 2ª Guerra Mundial, foi interessante conhecer o local e a história que se passou.

Pearl Harbor é muito bem organizado, contando com museus e diversos materiais (submarino, torpedos, canhões anti-aéreos e diversas fotos e documentos) para serem observados. Há a possibilidade de alugar fone de ouvido para áudio guiado (em diversos idiomas, mas não vi português). Vale a pena a visita!


Vista interna da sala de comando de um submarino da 2ª Guerra.

Fazia pouco tempo que havia lido um livro sobre um submarino americano (USS Tang) em batalhas na 2ª Guerra, sendo que esse submarino era famoso por ter destruído toneladas de navios inimigos. O curioso é que na última missão do mesmo, após afundar diversos navios, quando do lançamento do último torpedo, este falhou, fez uma longa volta e acertou o próprio submarino, afundando o mesmo no mar do Pacífico. Sobreviveram pouquíssimos marinheiros, incluindo o famoso comandante Richard O’Kane (livro: “Fuga das Profundezas”, de Alex Kershaw). Foi interessante estar na base de onde havia saído o submarino para dezenas de missões. Segue a foto da placa em homenagem ao mesmo:

Já o Arizona Memorial é o local onde se encontra afundado o navio USS Arizona, naufragado após o ataque japonês a Pearl Harbor. As bombas lançadas atingiram a sala de munições, fazendo com que o mesmo explodisse e matasse milhares de marinheiros.

O memorial é como uma tumba onde estão enterrados os milhares de mortos que afundaram com o navio.

Jantei com pessoas locais que conheci no Hawaii. A educação e hospitalidade dos havaianos são incríveis. Muito bacana mesmo! Local onde bastou você parar na rua querendo atravessar (mesmo fora da faixa de pedestres), as pessoas param os veículos para que você atravesse! Uma vez em Woodbrige (VA), questionei sobre isso, e outro brasileiro disse que era porque eles tinham medo de atropelar alguém e serem processados ($$$$). Mas na boa, pelo menos para mim a história é simplesmente outra:  EDUCAÇÃO! Que me desculpem os que não concordem com a minha opinião, mas os americanos são muito mais educados e patriotas que os brasileiros. Pelo menos foram as impressões que me deixaram nas vezes que lá estive (que fique claro que gosto muito do Brasil e tenho orgulho de ter nascido aqui!).

Fui até Hanauma Bay (dica do seu blog). Lugar muito legal para fazer snorkel e curtir o visual desde a chegada, no alto do morro. Vista impressionante do alto do morro:

Fui na meca dos bodysurfers, Sandy Beach (velho e barrigudo, só consegui ficar meia hora dentro d’água, pegando umas “marolas” na bandeira vermelha! Hehehehehe!), mas é bacana ver desde os jovens até os mais velhos (tinha senhor de cabelo branco!) pegando onda na praia!

Sandy Beach.

Nesse caminho até Sandy Beach você curte o visual da estrada. Essa praia fica logo depois da entrada para Hanauma Bay [nota Malla: é Eternity Beach]. Quem quiser tentar fazer no mesmo dia vale a pena!

Fui ao Chief’s Luau, o qual recomendo muito. O Chefe samoano é muito engraçado e comunicativo com as pessoas, além do visual do lugar ser fantástico, com montanhas ao fundo e o mar à frente!

Leia as dicas da Malla sobre luaus no Havaí.

O chefe samoano explica as tradições do Imu Kalua pig (porco assado nas pedras e folha de bananeira).

Além disso, há apresentações de diversas músicas e danças da região polinésia (Samoa, Tahiti, Hawaii, Nova Zelândia etc.). E a comida servida é ótima. Realmente o melhor luau da região, atualmente.

Parceria Malla: Faça sua reserva de hotel no Havaí pelo Booking.

Parceria Malla: Reserve seu carro alugado no Havaí pela RentCars.

MAUI:

Rodei na estrada para Hana e curti o visual (também dica do seu blog). A estrada é cheia de curvas. Quem enjoa com isso deve tomar um remédio antes. Durante o percurso na estrada é possível tirar várias fotos bacanas:

Fiquei na área de South Kihei (onde usei de base para tudo em Maui). O visual é bem legal, tranquilo e as praias são ótimas. Fiquei no hotel Oceanfront Days Inn (simples, bom, bem localizado, na beira de uma praia, estacionamento  e com ótimo preço).

Visual da praia de South Kihei (frente do hotel) no final do dia:

Conheci Lahaina e a história do local. Vi baleias durante o percurso da viagem. O legal é que você também pode contratar excursões somente para avistar baleias bem de perto, mas no período de dezembro a abril, segundo me informaram.

Fui tentar saltar de paragliding, mas não encontrei o instrutor no local informado! hahhaha! Visual do alto maneiríssimo!

Na volta fui procurar uma fábrica de vodka havaiana, a Ocean Vodka, localizada naquela região, pois tinha lido numa revista da Hawaiian Airlines durante o vôo de Oahu para Maui. Tinha lido que havia visitação, mas quando cheguei lá, depois de muito procurar, descobri que só depois de duas semanas que iria começar a visitação! Mas o pessoal que lá estava foi bacana e me deu algumas informações, como sendo a única vodka feita com cana de açúcar orgânica no mundo, água mineral das profundezas da Big Island etc. Comprei minha garrafa!

LANAI:

Peguei o ferry em Maui e fui para Lana’i. 50 minutos de ferry, viagem legal, onde avistei baleias, visual incrível, ao nascer do sol. É possível chegar em Lahaina (Maui) e pegar um ferry boat com destino a Lana’i. Sai em diversos horários, tanto para ir como para voltar. Comprei os tickets de ida e volta pelo site Hawaii Discount, comprei diversos ingressos com eles e sempre deu tudo certo.

Lanai é meio desabitada e a parte do porto fica longe da cidade (7 milhas). Não tem transporte público, apenas vans que levam para o resort da ilha, o Four Seasons Manele Bay, onde os turistas vão para jogar golfe. Acabei me dando mal, porque eu e minha namorada achávamos que existiria pelo menos uma “vendinha” para comer alguma coisa. Fomos para passar o dia, antes do café-da-manhã. Já no ferry começamos a ver alguns turistas mais espertos carregando seus coolers…. Tive um péssimo pressentimento! Lá realmente não tem nada para vender, seja água ou comida. Então, se forem por lá, levem nas suas mochilas o que vão necessitar para o dia! Acabei tendo que tomar café no resort, sendo o café mais caro que paguei em toda minha vida!!! kkkkkkkkkkk

Visual do resort:

Aguentamos a fome depois até voltar para Maui, onde finalizamos a tarde comendo.

A praia em Lana’i é muito bacana, visual incrível. Bom para fazer snorkel! Valeu a pena visitá-la:

Leia aqui o roteiro da Malla para 2 dias em Lanai.

BIG ISLAND:

Visitamos o Parque Nacional dos Vulcões – sonho de criança conhecer o Kilauea!

Dirigi até o Chain of Craters Road, dentro do Parque Nacional dos Vulcões. Vale a pena o visual:

Em outro dia, fomos até Kalapana para fazer uma caminhada até a lava ativa. Compramos o tour pela Kalapana Cultural Tours.

Fizemos a caminhada por cerca de duas horas até encontrar lava ativa na beira do penhasco que dava para o mar.

Vimos a lava descendo e caindo no mar! Existe o passeio de barco, um pouco mais caro, mas chega bem mais perto da lava. Mas acho que a caminhada foi bem melhor, porque na volta, no meio da escuridão, vimos um céu estrelado como nunca tinha visto na vida, além do visual incrível na caminhada.

O bacana desse passeio é que você fica até escurecer (já começa no final da tarde) e você pode curtir o visual da lava à noite, onde fica mais impressionante.

Visitei o Museu do Tsunami, em Hilo. Legal de conhecer; no centro de Hilo, conta as histórias dos tsunamis pelo mundo, além do desastre ocorrido em Hilo no maior tsunami do Hawaii.

Fui numa praia em Hilo bem local mesmo, Richardson Beach. Areia preta vulcânica, tartarugas marinhas e pessoas locais na praia, inclusive tocando ‘ukulele!

Fui até Green Sand Beach, a praia com areia verde! Que lugar, que visual, que praia!!! Lá é o lugar onde você vai ver tartarugas nadando ao seu lado, totalmente despreocupadas! Para chegar lá, só com jipe 4×4. Como não estava com jipe, estava desistindo quando num café no B&B encontrei um pessoal da República Tcheca que disse que dá para ir até perto do local e depois tem um cara que faz o percurso no jipe dele, U$$25 por pessoa. Ele te leva e depois marca um horário para te buscar. Realmente deu certo, peguei até o telefone do cara do jipe, morador local, com sobrenome português (Gouveia, cel: 808-759-2009). Quem quiser chegar lá e ligar para o mesmo para se informar se ele vai estar lá, é só fazer. Se estiverem com ele, pode perguntar do BJ Penn (lutador de UFC havaiano), ele é fã do cara! Eu disse que iria postar o celular dele para que outros turistas brasileiros o procurassem, então é só dizer que você pegou por aqui e que foi um brasileiro que postou!  A idéia de colocar o telefone aqui é somente para ajudar, pois pode haver outras pessoas que queiram fazer o passeio (eu tinha quase desistido por achar que era impossível chegar no local).

Green Sand Beach:

No último dia bateu a depressão….. ter que voltar!!! kkkkkkkkkkkkk

O que mais me marcou no Hawaii: 1º- Educação e gentileza das pessoas; 2º- beleza da região, com cada lugar diferente do outro; 3º- O povo realmente sabe cuidar do turismo; 4º- custo bem caro para se viajar! Foi a viagem mais cara que fiz até hoje (fora o trauma do café da manhã! rsrsrsrs). Mas valeu cada centavo gasto!

Ainda me dei bem nas locadoras: aluguei tudo através da Happy Tours USA , pelo site, tudo 100%, melhores preços que encontrei, site em português. Pois nunca tinha carro popular, daí sempre ganhava upgrade gratuito, consegui até um mustang conversível pelo preço de popular! Recomendo a Hertz, sem dúvida.

Bom, no mais é isso! Espero um dia poder voltar!

Abraço,

Frederico Portella

**************************

Frederico, eu que agradeço de montão pelo relato tão bacana e detalhado! Obrigada pelo feedback e agora que aprendeu o caminho… volte quando quiser para um café! 🙂

Aloha!



31
×Fechar