Reflexo em recesso

por: Lucia Malla Antigos, Blog, Mallices

Ando meio cansada de computador, internet, etc. – e basta ver as teias de aranha que se amontoam por esta página para perceber isto. Gosto do instagram, de ver as fotos dos amigos queridos e as lindas paisagens marinhas que vários perfis colocam. Mas não tenho agora vontade de sentar e escrever aqui, organizada e meticulosamente, como gosto de fazer. Macaca velha que sou da esfera dos bytes, sei que todo blogueiro tem seus altos e baixos, momentos de explosão e de introspecção, de verborragia e de silêncio gritante. São fases normais, como as que temos durante nossa caminhada pela vida. E chegou a minha vez de me silenciar por um tempo. Preciso. Do recesso. É uma fase, digo tranquila; já-já passará.

Porque afinal, tenho ainda muitas histórias e estórias de viagens pra contar neste espaço virtual, que em outubro completa 9 anos. E gosto de manter este nanofúndio, off-redes sociais, sob meu controle apenas. E são tantos amigos que passam por aqui com frequência, tanta gente bacana que apareceu e aparece todo dia, que realmente fica difícil não se emocionar e não comemorar. E é preciso agradecer a todos, vocês são o máximo com tanto carinho pra distribuir. Sintam-se abraçados, por favor.

Recesso para encontros ao vivo

Mas mais que contar minhas viagens reais, virtuais e na maionese no papel digital, tenho tido mesmo é vontade de conversar ao vivo, com um bom vinho, muitos queijos e uma boa rodada de risadas. De ver filmes no cinema e ler livros de papel, de andar na praia a esmo e sem pressa, ouvindo o vento na memória. Felizmente, vários amigos e amigas antigos têm aparecido aqui em casa (ou pelo Havaí) sequencial e frequentemente desde o início do ano, compartilhando toda a alegria que me toma conta no momento. Venham mesmo, adoro mostrar o “meu” Havaí de bióloga, tubarófila azul para vocês, para que vocês encontrem o Havaí “de vocês”. E se apaixonem por ele.

É muita coisa legal acontecendo offline, gente! E pra aproveitar bem essa onda de vitalidade real, a vida virtual tem sofrido as consequências do abandono temporário. Que eu chamo erroneamente de “cansaço”.

Porque é na verdade ansiedade já se acumulando para a próxima viagem, que começa na semana que vem. Porque os preparativos para ela começaram em julho e ainda estou enrolada com muitos detalhes pré-viagem. Porque fiz questão de planejar o mínimo possível, para testar minha independência do virtual, pelo menos como fonte de informação. Quero voltar às origens de viajar sem saber muito o que esperar, aberta aos caminhos que aparecerem, por fim. Que venham as roubadas, as surpresas, os tombos e as levantadas nas velhas e novas esquinas que (re)encontrarei nestas férias. E que venham as risadas com mais outros amigos queridos.

Roteirinho mental

Antes de curtir férias, vou para um congresso importantíssimo da minha área de pesquisa, dar uma palestra na primeira sessão do mesmo. Ou seja, a audiência será alta (e haja frio na barriga). Vou rever a cidade onde morei, onde aprendi e vivi tantos momentos inesquecíveis naquele verão de 1997. Esta será uma viagem down memory lane, em vários sentidos. E estou super-feliz de fazê-la.

É, portanto, um conjunto de fatores que me fazem entrar em recesso virtual. E em outubro a gente volta a conversar.

Bis bald, pessoal.

Reflexo em recesso

Vou ali e já volto.

Tudo de melhor para vocês sempre.

P.S.

Vocês sabem: passeio sempre pelo instagram e com cada vez menos frequência no twitter e facebook. Mas aviso: vou postando sem nenhuma periodicidade. Apenas com muito coração.  Se quiserem viajar comigo neste mês de setembro numa destas redes, fiquem à vontade. É sempre um prazer ter a companhia de vocês. 🙂



125
×Fechar