Je suis Left Shark

por: Lucia Malla Antigos, Comportamento, EUA, Música, Tubarões

Preciso confessar que não curto futebol americano. Acho um jogo muito chato, de assistir, de entender, de torcer… enfim, não é a minha praia, mesmo. Mas, morando nos EUA, não tem como não se contagiar pela festa que é o Super-Bowl, a final anual do campeonato de futebol americano.

O Super-Bowl é também o grande palco dos marketeiros do mundo. Quando me mudei pros EUA pela primeira vez, não tinha a menor ideia do quão importante para a propaganda mundial eram aqueles intervalos comerciais irritantes que tornavam o jogo extremamente sacal de assistir – toda hora param a bola pra comercial! Mas fato é que, se o seu time de futebol americano não está no Super-Bowl, 99.99% das pessoas assistindo estarão interessadas nos comerciais (DataMalla).

E a terceira atração do Super-Bowl é o show do intervalo. Nos 30 minutos que separam o segundo e o terceiro tempos, sempre acontece um mega-show – já teve ano com Madonna, Michael Jackson, Ella Fitzgerald, Tina Turner… só mega-stars. (Quem não se lembra do bafafá americano quando Justin Timberlake deixou Janet Jackson com um peito de fora ao vivo em pleno SuperBowl?)

Enfim, domingo passado foi o Super-Bowl – SeaHawks, de Seattle x New England Patriots, de Boston. Como sempre, a expectativa das propagandas. E do mega-show do intervalo, que seria com Kate Perry, Missy Elliot e Lenny Kravitz. Fui assistir ao Super-Bowl numa festa com amigos, e não estava nem um pouco empolgada com o mega-show, então nem me empolguei a assistir, fiquei no quintal brincando com os cachorros.

Até que todos os meus amigos começaram a gritar meu nome. Fui na sala e quando chego na frente da TV… dois tubarões dançando no palco!!!!!!!!

Foi amor ao primeiro rodopio. Os dois tubarões eram os back dancers da Katy Perry, num cenário de praia. Imediatamente comecei a imitar seus movimentos de dança, porque eles eram muito cativantes. Quando os dois tubarões desapareceram do palco, eu já considerava aquele o melhor show em SuperBowls ever. Finalmente os tubarões tiveram o holofote que merecem: divertidos, animados, e com cara de bons amigos! Aí fui checar no twitter/facebook: minha timeline de tubarões estava em polvorosa, todo mundo apaixonado pelos dancing sharks.

Também foi peculiar que o tubarão à esquerda da Katy Perry fosse extremamente descoordenado pra dançar, errando diversos passos. Logo, o Left Shark ganhou uma conta no twitter, outra no instagram, virou meme e gif  – ou seja, viralizou. Left Shark virou até tatuagem!


“Arte” de JMAN7D1.

E de repente, as pessoas começaram a se ligar: o Left Shark representava muito mais que apenas um back up dancer da Katy Perry.  Era a caricatura perfeita de nossas falhas, escolhas e bizarrices da vida; quando a música te leva pra um lado, todo mundo dança no compasso, e você inevitavelmente põe uma capa de tubarão azul, desencana dos passos coordenados e sorri pra câmera, porque o que importa é dançar. E ser feliz.

Somos todos – ou quase todos… – Left Sharks pelos palcos da vida.

Tudo de bom sempre.

(Foto acima postada por Stacey Scott, no instagram.)

P.S.: – No palco do Super-Bowl, por baixo do Left Shark, estava o dançarino Brian Gaw.

– Foto de abertura do post de Christopher Polk.

– Não esqueci do último post da Nova Zelândia. Sai por esses dias, assim que eu conseguir parar de ver vídeos do Left Shark. 😀



136
×Fechar