Devo cancelar minha viagem ao Havaí por causa da erupção do vulcão Kilauea?

por: Lucia Malla Big Island, Geociências, Havaí, Turismo

No último mês, o Havaí vem vivenciando uma tragédia natural das mais impactantes, que tem deixado muitas pessoas em situação emergencial.  Tudo começou no dia  3 de maio de 2018, quando uma fissura no solo abriu em meio ao bairro de Leilani Estates, na região sul da Big Island. Esta fissura começou a expelir lava – uma indicação de que o vulcão Kilauea entrava em erupção mais uma vez.

Desde então, mais outras 22 fissuras (and counting…) abriram no solo, na região geologicamente conhecida como East Rift Zone, que corta o sudeste da Big Island. Cenas inacreditáveis de lava passando por cima de casas, ruas, carros e florestas inundaram a internet, parecidas que eram saídas de um filme de terror. Por onde passa, a lava consome o que encontra pelo caminho e não há muito que se possa fazer exceto sair de perto.

A lava em Leilani Estates. Foto de Andrew Richard Hara.

A erupção também vem acontecendo na cratera de Halemaumau, a principal do Kilauea, visitada por milhões de pessoas anualmente. Como os terremotos ainda são frequentes e as explosões da erupção estavam arremessando pedaços de rocha gigantescos a quilômetros de distância, as autoridades acharam melhor fechar o parque à visitação, por precaução. Afinal, com a força da natureza não se brinca.

Cancelar viagem ao Havaí por causa da erupção do vulcão - Puna

Este corredor lindíssimo de árvores fica na costa do Mackenzie State Park, na região de Puna-Pahoa. Muito provável que tenha sido destruído pela passagem da lava. 🙁

Os prejuízos da erupção

As tragédias pessoais são tristes e duras demais para a gente contabilizar neste blog com o carinho e dignidade que merecem. Mas, além disso, o Havaí também tem sofrido em outra frente fundamental à saúde econômica do estado: o turismo. Porque o Parque dos Vulcões e a lava do Kilauea são uma das grandes atrações turísticas do estado. Portanto, esta atividade comercial também tem ficado bastante prejudicada, afetando direta ou indiretamente muita gente que depende do turismo para se manter. Mas será que você deve mesmo cancelar sua viagem ao Havaí por causa da erupção do Kilauea?

Onde a erupção está acontecendo?

No mapa abaixo, organizado pela Secretaria de Turismo do Havaí, temos em laranja a exata localização de onde a lava do Kilauea está neste momento escorrendo.

Erupção do Kilauea - Maio 2018

Como podemos perceber, toda a atividade eruptiva está no canto sudeste da Big Island. Especificamente, na região que conhecemos como Puna-Pahoa, que engloba os bairros de Leilani Estates, Lanipuna Gardens e Kapoho Beach Lots, todos atualmente com lava escorrendo. Também é ali que fica a Puna Geothermal, a usina geotérmica que fornece eletricidade para um pedaço da Big Island – e que atualmente está desligada da rede, por receio de explosão caso a lava alcance seus domínios.

Vale ressaltar que Puna-Pahoa é uma área mais “rural” do Havaí, com casas de veraneio, pequenos sítios e muito verde. Não é uma área muito visitada pela maioria dos turistas pra começo de conversa. Afinal, o turismo que ocorre ali é mais direcionado, de retiros de yoga e experiências de volunturismo em fazendas sustentáveis. A maior parte dos visitantes da Big Island chega em Hilo e segue direto para Volcano (que fica na montanha) ou Kalapana (na costa), para andar nos campos de lava e ver o Parque Nacional dos Vulcões. Passam batido por Kapoho e Puna.

Se olharmos para o resto do estado no mapa abaixo, temos a dimensão exata do tamanho da área que está sendo consumida por lava fresca, marcada por um quadrado vermelho. Para se ter uma ideia, de Honolulu a Pahoa, a distância é de 364 km em linha reta.

Como frisei para alguns amigos, não dá nem pra ver a fumacinha da erupção em Waikoloa, na própria Big Island, que dirá das demais ilhas. Vida que segue normal e tranquila na maior parte do Havaí.

E a fumaça tóxica?

Quando um vulcão entra em erupção, um dos sinais mais claros é expelir uma nuvem de gases tóxicos na atmosfera. Ácido clorídrico, ácido sulfúrico e pedaços de sílica (conhecidas como “laze“) podem contaminar o ar na área proxima à erupção. Além das cinzas de tanta matéria orgânica e não-orgânica sendo queimada.

Esta nuvem de cinzas com gases tóxicos (principalmente dióxido de enxofre) pode ser carregada por quilômetros pelo vento e afetar áreas mais distantes. Portanto, existe a possibilidade de que você respire gases tóxicos na Big Island.

A lava do Kilauea escorrendo até o oceano. Foto de Andrew Richard Hara.

Felizmente, a direção normal dos ventos no Havaí, os chamados “trade winds“, é nordeste. Isto tem contribuído para que a nuvem tóxica do Kilauea não atinja nenhuma das principais ilhas. Com exceção do sul da Big Island – as regiões de Ka’u, Naalehu e Ocean View – todo o resto das ilhas tem mantido uma qualidade do ar normal. Esta nuvem tóxica contém laze, que é uma matéria pesada. Mesmo que o vento mudasse e empurrasse para as demais ilhas, o laze, portanto, não conseguiria viajar muito longe, afetando no máximo até Kailua-Kona.

Um pouco da nuvem tóxica, entretanto, consegue chegar a Kailua-Kona. Em tempos normais de erupção mínima (como até antes de maio), Kona já recebia um influxo maior de vog que as demais cidades do Havaí. Agora, com a erupção, o ar pode ficar um pouco mais pesado que o normal. Se você tem problemas respiratórios, deve definitivamente evitar ir a Kona. Mas, se quiser insistir, pode usar uma máscara quando estiver em ambientes muito abertos. Nas demais áreas da ilha, não é necessário usar máscara.

Devo cancelar minha viagem ao Havaí por causa da erupção do Kilauea?

A resposta simples é: NÃO.

A probabilidade de que você será impactado em alguma atividade que decida fazer durante sua viagem ao Havaí por causa da erupção do Kilauea é mínima. Aliás, praticamente nula. Principalmente se a Big Island não está em seu roteiro. A rotina nas demais ilhas segue normal, incluindo aí os aeroportos.

(O aeroporto de Hilo, o mais próximo do Kilauea, continua aberto e operando normalmente, completamente desobstruído das cinzas do vulcão.)

Vulcão Kilauea

Mas mesmo se você vai visitar a Big Island, também não precisa cancelar sua viagem.

Sugestões para uma visita a Big Island em tempos de erupção do vulcão Kilauea

Eis minhas sugestões específicas para visitar a Big Island durante uma grande erupção.

Evite a área de Puna-Pahoa

A região está fechada pela Defesa Civil, incluindo aí espaço aéreo. Vários transeuntes já foram multados por tentarem entrar na área para fotografar, com drones e afins. Não seja um destes malas. Não atrapalhe o serviço de emergência que os militares e a Defesa Civil estão organizando para ajudar ao máximo os moradores da região; alguns deles perderam tudo que tinham, e devemos ter compaixão e respeito por esta situação tristérrima.

Hospede-se em Waikoloa ou Waimea

Nestas áreas o ar ainda está limpo, principalmente sem resquícios da nuvem tóxica do Kilauea. Ambas sempre foram ótimas bases para explorar o lado norte da Big Island, e agora se tornaram as melhores opções.


Compre sua passagem aérea para o Havaí pela Viajanet.

Faça sua reserva de hotel na Big Island pelo Booking.

Reserve seu carro alugado na Big Island pela RentCars. Pagamento sem IOF.

Proteja sua viagem ao Havaí com os Seguros Promo.

Marque seu passeio na Big Island pela Hawaii Activities. Pagamento direto em real.


 Priorize visitar o norte da Big Island

Apesar do vulcão ser o que mais atrai as pessoas à Big Island, há muito mais a se fazer por lá além do vulcão. Com o Parque dos Vulcões fechado e uma calamidade pública em andamento no sul da ilha, o mais garantido para que você possa aproveitar a ilha é explorar o norte, onde a vida corre normalmente. Quer sugestões? Hapuna Beach, uma das praias mais lindas do Havaí, fica ali. Conhecer em Kapa’au a estátua original do Rei Kamehameha I, unificador das ilhas havaianas, também é uma excelente pedida. Ou subir o Mauna Kea, a maior montanha do mundo. Ou fazer uma trilha no lindíssimo Waipio Valley. A escolha é de vocês.

Não aceite fazer passeios em terra para ver a lava

Todas as caminhadas na região da lava estão canceladas no momento por ordem da Defesa Civil. Portanto, se alguém lhe oferecer para levá-lo até uma das fissuras por onde a lava brota, certamente desconfie.

O passeio de barco é a única opção para ver a lava no momento

Desde o dia 20 de maio a lava está entrando vagarosamente no oceano perto do Mackenzie State Park. Por isso, o passeio de barco se tornou a única opção plausível de se fazer na região do vulcão. A Guarda Costeira impôs limites mais rígidos de distância da lava, mas ainda assim dá pra ver com tranquilidade. Os tours acontecem todos os dias organizados pela Lava Ocean Tours e estão agora saindo do píer de Hilo.

É isso. Deixo aqui meu desejo de muita força e suporte ao pessoal de Puna-Pahoa nesse momento tão trágico.

E tudo de bom sempre.

P.S.

  • O instagram do Andrew Richard Hara (@andrewrichardhara) é o que tem as melhores fotos da lava no momento. Porque ele tem autorização oficial das autoridades para registrar os danos da lava. Algumas das fotos deste post vieram de seu instagram, por fim. 
  • Para atualizações diárias sobre a erupção do Kilauea em 2018, veja o site do USGS.
  • A erupção do Kilauea cessou em junho de 2018.
Booking.com


706
×Fechar