Mergulho em Sipadan: o paraíso da Malásia

por: Lucia Malla Ásia, Malásia, Mergulho, Viagens

Sipadan. Quando ouvia este nome, a associação com um local sensacional de mergulho logo vinha à mente. Afinal, o mergulho em Sipadan, na Malásia, tinha sido escolhido por ninguém menos que Jacques Cousteau como um de seus prediletos no mundo.

Mergulho em Sipadan
Um paraíso chamado Sipadan.

Sobre a ilha de Sipadan, Jacques Cousteau disse no início da década de 80:

“I have seen other places like Sipadan 45 years ago, but now no more. Now we have found an untouched piece of art.”

“Já vi outros locais como Sipadan há 45 anos, mas nos dias de hoje, não mais. Agora, nós encontramos um pedaço de arte intocável.”

Com um aval destes, Sipadan entrou há tempos na nossa lista de desejos de viagem.

Ilha de Sipadan: onde ficar e como chegar

Mapa de Sipadan
Sipadan: entre Malásia, Filipinas e Indonésia.

Sipadan é uma pequena ilha remota e Parque Nacional Marinho no mar de Celebes, na costa nordeste da Malásia, parte de Bornéu. Há duas ilhas próximas: Mabul, onde há diversos hotéis, e Kapalai, que na verdade é um banco de areia (não tem praia) com apenas um resort.

Kapalai Dive Resort em palafitas - Malásia
Kapalai: em um banco de areia.

Para chegar até Sipadan, o caminho é longo. Mas vale cada centavo, não perca o foco disso. A cidade mais próxima de Sipadan é Semporna, na ilha de Bornéu, há 1 hora de barco. Entretanto, Semporna não tem aeroporto. Portanto, você precisa voar até Tawau, cidade um pouco maior que fica a 1 hora de carro de Semporna. Ou seja, provavelmente você fará o trajeto nesta sequência:

Kuala Lumpur -> Tawau -> Semporna -> Mabul/Kapalai -> Sipadan

Nós fomos de Honolulu até Kuala Lumpur, capital da Malásia, voando de Air Asia, uma low-cost do país. De Kuala Lumpur, há vôos direto para Tawau, já na ilha de Bornéu, o mais próximo aeroporto para se chegar a Sipadan. De Tawau, nosso resort organizou um shuttle de van até o píer de Semporna, de onde pegamos o barco que nos levou até Kapalai.

O mergulho em Sipadan

Mergulho em Sipadan - Malásia
Uma Malla em Sipadan.

Logística

Hoje, são permitidos 180 mergulhadores por dia na ilha de Sipadan. (Este número varia de acordo com a política local.) Interessantemente, estas 180 vagas são divididas (e disputadas!) entre todos os resorts da região de Mabul-Kapalai-Semporna na Malásia. Portanto, em qualquer lugar que você se hospede, os resorts só te dão garantia de um dia de mergulho em Sipadan. Para ter a oportunidade de visitar a ilha mais vezes, você precisa ficar pelo menos 5 noites hospedado.

Sipadan - Malásia
Paradise is here.

Quando chegamos em Sipadan depois da travessia de 30 minutos, a visão é espetacular: uma ilha no meio do mar, com praias de areia branquinha e aquele mar clarinho perfeito. Uma pequena mata em terra e o píer dão o toque final. O paraíso é aqui.

Píer na ilha de Sipadan

Em Sipadan, faz-se três mergulhos por dia. O primeiro antes do café da manhã, o segundo depois, e o terceiro já quase na hora do almoço. Nenhum mergulho que fizemos lá foi mediano; todos foram sensacionais!

Coral saudável - Sipadan - Malásia
Coral saudável, cada vez mais raro.

A qualidade do recife de coral, a biodiversidade de espécies e o tamanho e quantidade dos peixes é realmente impactante. Perceber que ainda existe este recanto saudável no nosso planeta deu um aconchego enorme no coração.

E melhor de tudo: a água é quentinha.

Melhor época para mergulho em Sipadan

Melhor época de mergulho em Sipadan
Em maio, o mar estava uma piscina.

A melhor época de mergulho em Sipadan é sem dúvida entre março e maio. Neste período, o mar está mais calmo, chove pouquíssimo e a visibilidade de 30 metros se mantém cristalina.

Janeiro-fevereiro e agosto-setembro são os meses em que mais venta, o que piora as condições do mar. Ainda é mergulhável, mas pode se ter dias seguidos de mar ruim. Já de dezembro a fevereiro chove bastante, o que piora a visibilidade.

Evite também ir no período do Ano Novo Chinês, quando a área lota.

Meu conselho: numa viagem tão longa quanto esta, com um investimento financeiro e de tempo tão grande, o melhor mesmo é ir na época certa.

Points de mergulho em Sipadan

Mergulho em Sipadan - Malásia
Mapa dos pontos de mergulho em Sipadan que estava no dive shop.

Há 12 points de mergulho na ilha, e a escolha de onde mergulhar depende da corrente marinha do dia. As operadoras em geral tentam não se agregar num mesmo ponto, mas às vezes é difícil escapar de esbarrar em outro grupo embaixo d’água. Entretanto, o mergulho em Sipadan é tão fenomenal, que os outros grupos não chegam a incomodar em nada.

Lagarto de Bornéu
Pausa no intervalo de mergulho para ver o lagarto.

No intervalo de superfície entre cada mergulho, os diferentes dive shops servem café da manhã e/ou outras comidinhas, sob a área coberta do antigo resort. Cada dive shop tem um mesão para seus mergulhadores. Funciona super-bem. Em um dos dias na ilha, por exemplo, ainda vimos um lagarto enorme do gênero Varanus na matinha da praia.


Seguros Promo

Nossa experiência de mergulho em Sipadan

Nascer do sol - Sipadan - Malásia
A aventura começa antes do dia clarear.

Para aproveitar ao máximo o mergulho em Sipadan, o dia começava bem cedo. O barco saía de nosso resort às 5:30 da manhã, para que o primeiro mergulho do dia fosse ainda antes do amanhecer. Nesta situação de lusco-fusco, alguns peixes mais ariscos nadam tranquilamente, como o ameaçado de extinção peixe-papagaio-gigante (bumphead parrotfish em inglês; Bolbometopon muricatum). Esta é a maior espécie de peixe-papagaio do mundo e cada indivíduo produz até 70kg de areia por ano. Eles têm este “galo” na cabeça para bater uns nos outros, em brigas homéricas por fêmeas.

Bumphead parrotfishes - Sipadan - Malásia
Peixe-papagaio-gigante em agregação perto da costa de Sipadan antes das 6:30 da manhã.

Que por sinal, não se inibiu para a gente. Logo no primeiro dia de mergulho, quando estávamos entre o Coral Gardens e o Barracuda Point, vimos um cardume destes animais formando um paredão embaixo d’água, mais de 100 indivíduos! Uma das maiores emoções de mergulho que já tive na vida, sem dúvida.

Bumphead parrotfishes - Sipadan - Malásia
Uma Malla com os bumpheads.

Talvez Sipadan seja um dos últimos refúgios de vida marinha saudável tropical no mundo. Dos que já vi, sem dúvida o mais saudável atualmente.

Um parênteses sobre o Barracuda Point

Barracudas em Sipadan - Malásia
Barracudas.

Durante nossa estadia no Kapalai, tivemos a oportunidade de ir 3 vezes à Sipadan mergulhar. No total, foram 9 mergulhos. Destes, 6 foram no Barracuda Point. E acho que se mais tempo ficássemos, mais vezes mergulharíamos neste point.

A razão para voltar e voltar e voltar de novo a este point é simples. Sem dúvida, o Barracuda Point é o mais sensacional de Sipadan – e olha que é difícil escolher… Mas ali você vê de tudo. Da vida macro à vida pelágica, num mergulho de drift em que o ambiente natural subaquático te inebria com tanta beleza e saúde. De chorar de emoção.

Jacks em Sipadan
Quantos peixes nesta foto?

Inúmeros cardumes de jacks, de peixes-papagaio-gigantes, de barracudas. Tubarões e dezenas de tartarugas-marinhas descansando. Uma miríade de encantamento sem fim.

Minha dica é: se for a Sipadan, não deixe de mergulhar neste point.

Points de destaque: Drop-off e a Caverna das Tartarugas

Recife de coral - Sipadan - Malásia
Uma Malla no Drop-off.

Outro ponto de mergulho que nos cativou foi o Drop-off de Sipadan. Cardumes imensos de xaréus (bigeye trevally, em inglês; Caranx sexfasciatus) logo no início de cada mergulho, pertinho da praia.

Mergulho em Sipadan - Malásia
Coral na corda bamba.

No meio do mergulho, uma travessia em corda na imesidão azul te leva até o outro lado do recife, onde enfim uma caverna aparece.

Mergulhadora em Sipadan - Malásia

Nesta caverna enorme, existem esqueletos de tartaruga marinha numa área inacessível. A história é que as tartarugas entravam na caverna há cerca de 15m de profundidade e não conseguiam sair a tempo de respirar. E ali então morriam, virando alimento de peixes.

Tartaruga - Mergulho em Sipadan
Tartaruga-verde descansando na entrada da caverna.

Nos dois mergulhos que fizemos ali, a caverna estava cheia de visitantes-peixes. Além de uma escultura bizarra que fica lá no fundinho. é outro point imperdível neste lugar especialíssimo do mundo cheio de maravilhas subaquáticas.

Mergulhos em Kapalai e Mabul

Mergulho em Kapalai

Como o acesso a Sipadan é limitado, inevitavelmente durante sua estadia você terá dias de “descanso” mergulhando em outros dois pontos da região: Kapalai e na ilha de Mabul. Nós fizemos 5 mergulhos em points diversos destas ilhas.

Estes points de mergulho ficam ao redor dos hotéis da região, e são de fácil acesso. Meu favorito foi um mergulho que fizemos em drift com uma corrente bem forte, do Stingray City até o Ribbon Valley, em Mabul. Este mergulho é numa área onde há um rampão de corais saudáveis lotados de nudibrânquios e peixinhos coloridos. Daqueles mergulhos em que você não sabe para que lado olhar embaixo d’água, porque pra tudo quanto é direção a vista é espetacular. Outro mergulho bacana foi o Mabul Platform, onde vimos aliás um peixe-escorpião vermelho lindo paradinho na esquina de um naufrágio.

Em Kapalai, o mergulho no Ribbon Valley foi o mais interessante. Ali no fundo, um pequeno barco a motor naufragado faz as vezes de coral artificial, e agrega uma fauna diversa peculiar.

Mergulho noturno em Kapalai

Peixe-dragão no mergulho em Sipadan
Peixe-dragão camuflado no fundo de areia em mergulho noturno.

Em todas as nossas noites em Kapalai, fomos mergulhar no House Reef, o recife de coral em frente ao dive shop do Kapalai Dive Resort. Ali, a 18 metros de profundidade, foram construídas diversas estruturas de madeira simulando bangalôs e casas da Malásia. Estas estruturas funcionam como agentes agregadores de vida marinha. Ou seja, perfeitas para o mergulho.

Estrela do mar
A foto desta estrela-do-mar não é subaquática. Foi tirada da janela do nosso quarto. Incrível a visibilidade, não?

Em geral, entrávamos no mar para mergulhar ao pôr-do-sol, ainda com um pouco de luz. A saída deste mergulho é a mais fácil de todas. Afinal, basta você se sentar no píer, literalmente descer a escada e… Pronto! Pois o mergulho já começou.

Quem mergulha, sabe: o mar à noite é completamente diferente do mar de dia. De noite, animais diferentes aparecem para dar o ar da graça. Em geral, pequenas criaturas, que sabem ser alvo fácil quando a luz ajuda os predadores a caçá-los.

Um mar de raridades

Fizemos 5 mergulhos noturnos. Em dois deles, alguns peixes-pagaios-gigante apareceram – comprovando que eles não estão só ao redor de Sipadan. Vi um cangulo-titã (Balistoides viridescens), espécie que costuma ser bem territorialista, brigando com outro peixe por uma concha enorme. O cangulo venceu a briga por violência descarada: deu uma bicada forte no adversário.

Flamboyant cuttlefish - Malásia
A sépia flamboyant!! <3

Nossa guia Linda conseguiu encontrar pertíssimo do dive shop uma sépia flamboyant (flamboyant cuttlefish em inglês; Metasepia pfefferi), um dos animais mais raros de um recife de coral. Ficamos seguindo a sépia por mais de 20 minutos, a menos de 10 metros de profundidade. Ela mudava de cor a cada segundo e dançava para a gente como uma espanhola segurando a saia. Sensacional.

Em outro mergulho, vimos o também difícil de achar peixe-dragão (seamoth, em inglês; Pegasus sp.). Do tamanho de uma moeda e camuflado que estava no fundo de areia, achá-lo foi certamente um atestado das habilidades de “rainha do macro” da nossa guia.

Onde ficar em Sipadan

Antigamente, existia um dive resort na ilha de Sipadan. Mas quando a ilha passou a ser parque nacional, o resort fechou e Sipadan passou a ser visitada apenas para day trips de mergulho. Portanto, as opções de hospedagem são todas fora de Sipadan.

Sipadan Kapalai Dive Resort

Kapalai Dive Resort - Sipadan - Malásia
Sipadan Kapalai Dive Resort, todo sobre palafitas.

Nós ficamos no Sipadan Kapalai Dive Resort, que fica no banco de areia de Kapalai no meio do mar de Celebes. Toda a propriedade está sobre palafitas. Além do cenário lindíssimo e completamente isolado, o resort tem seu próprio dive shop e um recife de coral sensacional e saudável ao redor, onde podíamos mergulhar a hora que quisermos. Para André e eu, isso é a definição de paraíso.

Bangalô no recife de coral em Kapalai - Sipadan
Nosso bangalô e o quintal de coral! #Chorei

Mais: embaixo da nossa varandinha do quarto ficava um verdadeiro jardim marinho tropical. Passei diversas horas ali, só observando o ritmo da vida no coral.

Peixe-palhaço - Malásia
Meu vizinho Nemo. <3

Fiquei íntima do peixe-palhaço Nemo, morador de uma anêmona debaixo do nosso quarto para quem dava bom dia. E da anêmona-tubo, cujos tentáculos só se abriam à noite. Além dos peixinhos que eram comida fácil de outros peixes. E também dos inúmeros zambaio-roliços (houndfish em inglês; Tylosurus sp.) que tranquilamente passeavam por ali.

Houndfish - Kapalai - Malásia
Houndfish sendo limpo por cleaner wrasses.

Para mim, maior luxo não há: acesso irrestrito a um recife de coral saudável e biodiverso.

Mas este é, acima de tudo, um hotel simples, sem frescuras. As refeições são feitas em estilo buffet e a maior parte da clientela vem da China. Por isso, a culinária predominante é a chinesa. Os quartos são enxutos e o resort fica a 30 minutos de Sipadan (em mar calmo).

Hospedagem com sustentabilidade na Malásia

Cada bangalô do Kapalai Dive Resort tem seu próprio painel solar, o que já é um bom sinal. Não há copos descartáveis. A água fresca, porém, vem de barco a cada 3 dias – o que é uma solução nada verde.

Entretanto, eles têm se empenhado em sustentabilidade. Estão desenvolvendo um local para criação de garoupas em cativeiro, no Aquaculture Reef Station deles. Com isso, em breve conseguirão sustentar a cozinha do hotel de peixe sem precisar pescar.

Aquaculture Reef Station - Kapalai - Malásia
Aquaculture Reef Station, com os tanques de produção de peixe para consumo.

Nós visitamos os tanques de garoupa deles. É um projeto muito bacana, com potencial para realmente causar impacto. Além deste estabelecimento, eles também possuem um “jardim suspenso”, onde cultivam diversos vegetais para consumo. Ainda não dá para servir 100% de alimentos locais em Kapalai, mas já é um excelente passo na direção certa.

Dive shop 10 estrelas

Uma das maneiras pelas quais escolhemos onde ficar em viagens de mergulho é a qualidade do dive shop. Então, se íamos passar a maior parte do tempo embaixo d’água na Malásia, a operação de mergulho precisava ser segura e de qualidade. E os guias de mergulho, por conseguinte, precisavam ser ótimos.

Snorkel no Kapalai Dive Resort - Malásia
A qualquer hora do dia, podíamos fazer snorkel em Kapalai.

No Kapalai Dive Resort, a operadora é das melhores que já tive experiência. Os dive masters são extremamente cuidadosos com o cliente, excelentes. A gente pensava em querer mergulhar e… Puft! O equipamento já estava montado e era só pegar as nadadeiras e cair na água.

Nós mergulhamos com os guias malaios Shamil e Linda, em dias alternados. Ambos extremamente competentes, além de super-simpáticos. O Shamil é relax total e nos guiou em Sipadan. Já a Linda era a “rainha do macro”, capaz de achar os bichos mais inusitados no “coral de casa” num piscar de olhos. Ela nos acompanhou nos mergulhos noturnos e em um dia em Sipadan.

Guias de mergulho em Sipadan
Uma Malla com os guias do mergulho em Sipadan, Shamil e Linda.

Por fim, a estrutura do dive shop é perfeita para mergulho. O espaço é grande, com diversos chuveiros e muita animação. Além de mapas ótimos dos pontos de mergulho locais.

Cobra-do-mar em Sipadan
Cobra-do-mar: vimos várias no dive shop. Esta tentava subir as escadas do píer.

E para coroar este dive shop paradisíaco: diversas cobras marinhas (Laticauda sp.) apareciam lá. Lindas e listradas, se escondiam nos recantos para tirar uma soneca enquanto o sol castigava. Em um dos snorkels ao redor do dive shop, vimos a cobra saindo da água e subindo as escadas do píer. Estas cobras são venenosas, mas seu veneno quase nunca é injetado em humanos. Há, aliás, apenas 2 casos de picada desta cobra registrados desde 1935.

Outras opções de hospedagem

Mas há outras opções de estadia nesta região da Malásia. Na ilha de Mabul, há diversos hotéis, albergues e resorts que também participam da “cota” para o mergulho em Sipadan. Acho que de todos, o mais “diferentão” é o Seaventures Dive Resort, que fica numa antiga plataforma de petróleo em Mabul. Para quem tem curiosidade sobre essa hospedagem, a Carlinha já ficou lá.

Dive resort na plataforma de petróleo - Mabul - Malásia
Hospedagem diferente: dive resort numa plataforma de petróleo.

Outra opção é ficar em Semporna. Entretanto, se o que você mais quer é mergulhar em Sipadan, acho extremamente fora de mão ficar em Semporna. É o “clássico” barato que sai caro. Porque a cidade fica a pelo menos 1 hora de barco de Sipadan (se o mar estiver calmo). Além disso, não oferece muita coisa para fazer. Melhor optar num albergue em Mabul.

Paraíso na Malásia – até quando?

Mergulho em Sipadan - Malásia
A saúde da vida marinha em Sipadan é de emocionar.

Sipadan era um sonho de mergulho. Para o André e eu, era o principal interesse na Malásia há décadas. Depois de visitar o local em maio passado, saímos ainda mais impressionados. Porque é um dos últimos refúgios intocados de mergulho do planeta. Extremamente especial. Só de lembrar dos momentos incríveis que passei lá as lágrimas já enchem meus olhos. Um privilégio absurdamente enorme poder conhecer esta ilha da Malásia, compartilhar de momentos tão especiais embaixo e em cima da água. Jacques Cousteau estava certo.

Principalmente em tempos de mudanças climáticas, quando outros corais pelo mundo sofrem desesperadamente com a acidificação dos oceanos e o aumento das temperaturas da água. Num mundo cada vez mais açoitado pela emergência climática, fica uma tristeza profunda ao se pensar: até quando Sipadan aguenta?

Por isso minha sugestão é: vá. Desfrute portanto desta maravilha da natureza ao vivo e a cores, submerja na beleza natural da Malásia. Emocione-se com cada ser vivo que ali habita. Antes que seja tarde demais.

Tudo de mergulho sempre.

Mergulho em Sipadan - cardume de jacks

P.S.

  • Em 2000, um evento assustador aconteceu em Sipadan. Na época, Sipadan ainda não era parque nacional e existia ainda um resort na ilha. Pois eis que um grupo terrorista islâmico filipino da próxima ilha de Mindanao, liderado pelo extremista Abu Sayyaf, invadiram Sipadan e sequestraram 19 pessoas, entre mergulhadores e funcionários do hotel. Levaram então os reféns para a ilha de Jolo, nas Filipinas, onde havia uma base do grupo terrorista. Depois de 4 meses e meio e principalmente muitas negociações, os reféns foram finalmente libertados, e os sequestradores mortos. Entretanto, a lembrança deste evento ficou profundamente marcada naquela área da Malásia. Tanto em Kapalai como em Sipadan, há policiamento armado intenso que fica, discretamente, voltado para a direção das Filipinas. Certos pontos de Sipadan (e da Malásia, em geral), aliás, são áreas restritas militares, onde não podemos andar.

Booking.com



270
×Fechar