Nova Zelândia em 12 dias – Parte 2: das Geleiras até Kaikoura

por: Lucia Malla Mudanças climáticas, Nova Zelândia, Polinésia, Turismo, Viagens

Última atualização do roteiro “Nova Zelândia em 12 dias – Das geleiras até Kaikoura”: 08/dezembro/2019

Roteiro Nova Zelândia em 12 dias - Mount Cook
Uma Malla em Franz Josef. Minha felicidade total por estar numa geleira! \o/

Roteiro Nova Zelândia em 12 dias – Dia 4

Roteiro Nova Zelândia em 12 dias - Lago de Wanaka

André e eu madrugamos para fotografar o nascer do sol, com a vista lindíssima do lago de Wanaka. Além dos inúmeros patos selvagens que ficam pelo lago, incluindo o pato-mergulhador (Aythya novaeseelandiae), endêmico da Nova Zelândia.

Roteiro Nova Zelândia em 12 dias - Lago de Wanaka

Teríamos pela frente em nosso roteiro bastante asfalto até Franz Josef, nossa parada da noite. Então tomamos um café rápido em Wanaka e caímos na estrada. Rumo às geleiras.

Costa Oeste da Ilha Sul da Nova Zelândia

Vale ressaltar que o trecho da costa oeste da ilha sul é onde existem as florestas melhor preservadas da Nova Zelândia. Portanto, o verde é incessante, denso e com uma diversidade de samambaias que dá arrepio de tão incrível.

Haast - Ilha Sul - Roteiro Nova Zelândia em 12 dias

Apesar da garoa que por ali é quase constante, fizemos uma paradinha no super-fofo centro turístico de Haast. Esta é uma cidade litorânea com vegetação bastante única de beira de praia.

Nova Zelândia em 12 dias - praia da Haast
Praia em Haast.

O prédio do centro turístico de Haast é uma surpresa modernista naquela região isolada da Nova Zelândia. Lá dentro, um pequeno museu com história e biologia da região. Pensávamos em parar ali apenas para pôr combustível no carro. Mas no final, ainda tomamos um bom café e aprendemos um pouco mais sobre a região. Principalmente sobre o seu clima chuvoso…

Roteiro Nova Zelândia em 12 dias - Poema da Chuva em Haast
Poema da chuva.

Fox Glacier

A primeira geleira do caminho é Fox Glacier. Tecnicamente de mais fácil acesso por trilha possível para mais idosos. A caminhada levou uns 40 minutos, só que a vista da Fox lááááá longe foi um pouco frustrante. Principalmente levando em consideração que eu já estava pra lá de triste e deprimida ao ver as fotos da geleira como era há 6 anos.

Mudanças Climáticas - Glaciar Fox - Nova Zelândia

Ali, vendo a falta de gelo óbvia, não tem como um indivíduo em sã consciência negar os efeitos do aquecimento global sobre as geleiras. (E pensar que esta é apenas uma das muitas geleiras do planeta que estão desaparecendo… É de dar um aperto no coração do tamanho do mundo.)

Roteiro Nova Zelândia em 12 dias - Geleiras de Fox e Franz Josef
Há cerca de 50 anos, a geleira chegava onde estas pessoas caminham na foto. #ClimateChangeIsNow

Franz Josef Glacier

Franz Josef fica a ~30 minutos de carro da entrada do Fox Glacier. A cidade é minúscula, mas como é ponto de partida para a maioria dos aventureiros que escalam as geleiras e o Mt. Cook, há hotéis e restaurantes, mas tudo com cara de mochilagem. Foi quase impossível achar hotel em Franz Josef, e André, seu pai e eu ficamos no albergue Chateau Franz, enquanto seu tio e tia num hotel um pouco mais afastado do centro, o Rainforest Retreat. O albergue era ótimo, diga-se de passagem, e recomendo muito.

Um time-lapse de derretimento das geleiras do Ártico, para ilustrar mais o que acontece nas geleiras pelo mundo. Do NOAA, no youtube.

Tínhamos um passeio de helicóptero marcado pro início da tarde, mas o tempo virou totalmente lá no alto da montanha, e o passeio foi cancelado. Na empresa de helicópteros, a mocinha nos colocou na lista de espera para um vôo às 6:30pm, quando talvez o tempo melhorasse um pouco. À mercê das condições do tempo, André, eu e seu pai resolvemos fazer a caminhada até a geleira Franz Josef.

Roteiro Nova Zelândia em 12 dias - Geleira de Franz Josef
Geleira de Franz Josef.

A Trilha até a geleira de Franz Josef

A trilha é praticamente toda flat, sem muitas inclinações, e achei melhor e com vista mais interessante que a de Fox. A paisagem é lindíssima, e eu estava super-feliz de ver a geleira de perto. Mas quando você chega ao fim da trilha normal, e começa a andar à beira do rio, e percebe o quanto a geleira retraiu… Não dá pra segurar as lágrimas, sério. É muito triste a situação do planeta que estamos deixando pras futuras gerações.

Roteiro Nova Zelândia em 12 dias - Lago da Franz Josef Glacier
Um dos lagos da geleira.

Tanto a trilha de Fox quanto a de Franz Josef tiveram que ser modificadas desde 2008, por conta da diminuição massiva da quantidade de gelo. A geleira está muito mais instável e com isso é bem mais arriscado escalá-la. A trilha leva até bem perto. Sobretudo, dá pra ver o rio caudaloso de água derretida jorrando entre uma das aberturas do gelo. Meu sentimento ali era uma mistura de emoção feliz por estar vendo a geleira (ainda!), e tristeza profunda por saber que, daqui a uns 10 anos, provavelmente aquela geleira não mais existirá no verão, tamanha retração.

Passeio de helicóptero nas geleiras

De volta à cidade, entretanto, boas notícias. O tempo abrira no topo da montanha e o passeio de helicóptero ia acontecer! Diferente da neurose dos passeios de helicóptero nos EUA, esse é bem mais relax. Por exemplo, você pode abrir a janela lateral para fotografar sem reflexo do vidro. Não é permitido levar nenhuma bolsa nem tablets, apenas máquina fotográfica ou celular. Óculos escuros são fundamentais também, para a reflexão do gelo não forçar demais a retina.

Mount Cook - Roteiro Nova Zelândia em 12 dias

A vista das geleiras é simplesmente inacreditável. O branco da neve, as montanhas, tudo espetacular. Para mim, foi a maior emoção da viagem, e se o passeio fosse apenas para ver de cima tudo, já teria valido cada centavo.

Na montanha de Hillary

Mas aí vem o mais legal: o helicóptero pousa no topo da montanha, de cara pro Mount Cook. Você pode ficar 10 minutos ali, rolando curtindo o gelo, admirando aquele céu azul mais intenso. Me peguei pensando na biografia de Edmund Hillary que li há muito tempo. Nela, Hillary contava o quanto adorava escalar o Mount Cook. E eu estava ali, na montanha de Sir Edmund Hillary, herói dos heróis das montanhas. Num ponto onde ele pôs seus pés um dia. E ao mesmo tempo não pôs, já que o gelo é bem mutante à medida que as estações passam. Assim como o rio que passa nunca é o mesmo.

Viajei na maionese o quanto Hillary admirava aquela montanha. E no quanto eu, em apenas 5 minutos lá em cima, já admirava e amava aquela montanha branca tanto quanto.

Nova Zelândia em 12 dias - Franz Josef Glacier
Texturas da geleira Franz Josef, vista do alto.

De todos os passeios da viagem, este foi o mais intenso para mim, além de ser o que mais adorei. Para celebrar, fomos ao mercado e compramos vários queijos e vinhos espumantes para um piquenique ao entardecer. Franz Josef ficará na memória para sempre.


Reserve seu hotel na ilha Sul da Nova Zelândia pelo Booking.

Alugue seu carro na Nova Zelândia pela RentCars. Pagamento sem IOF.

Proteja sua viagem à Nova Zelândia com um seguro de viagem da Seguros Promo.


Roteiro Nova Zelândia em 12 dias – Dia 5

Este dia no roteiro era de road trip mesmo. Explico: a estrada era a atração do dia. De Franz Josef, o objetivo era chegar até Kaikoura cruzando a ilha sul pelo Arthur’s Pass. Porque se fôssemos direto, seriam 7 horas dirigindo sem parar. Mas claro, íamos fazer paradas, porque ali estão alguns dos cenários mais espetaculares da ilha sul.

Apesar do longo caminho pela frente, nosso café da manhã foi bem tranquilo, no Full of Beans, um café/restaurante/galeria de arte pop-kitsch nota 10 em Franz Josef, onde já havíamos almoçado no dia anterior. Quando caímos na estrada, o tempo deu uma piorada, e nossa despedida do Mar da Tasmânia foi debaixo de chuva. Uma pena, porque em uma das praias perto de Hokitika, nosso amigo havaiano disse ter visto golfinhos nadando alguns dias antes.

Pelo Arthur’s Pass

Arthur's Pass - Ilha Sul - Roteiro Nova Zelândia em 12 dias

Arthur’s Pass é uma travessia por Middle Earth. A estrada é bem montanhosa, cheia de curvas e pontes de apenas uma faixa, rios caudalosos e paredões rochosos. Várias das paisagens que serviram de fundo para a trilogia do anel estão na beira da estrada, agigantando a fantasia que um roteiro pela Nova Zelândia já inspira.

Arthur's Pass - Roteiro

Embora fosse verão, deu pra perceber que aquela região ferve mesmo é no inverno. É praticamente uma estação de esqui atrás da outra, nos slopes mais cinematográficos possíveis. Além disso, a região tem diversas cavernas para os adeptos do mundo subterrâneo. Em uma das paradas em nosso roteiro, no parque de Kura Tawhiti, a paisagem rochosa de arenito e calcário me lembrou bastante Vila Velha (PR), só que num tamanho gigante e menos vermelho. O lugar é de beleza intrigante, e merece a breve caminhada até a base dos rochedos.

Roteiro Nova Zelândia em 12 dias - Arthur's Pass
A Vila Velha da Nova Zelândia.

A estrada de Arthur’s Pass leva até Christchurch, mas antes passa numa cidade de beira de estrada sem personalidade chamada Springfield. Espertamente, a cidade pegou carona na semelhança com o nome dos Simpsons e plantou há alguns anos uma estátua gigante de um donut mordido no parque principal. Hoje, este donut virou uma atração turística pra criançada. Nós então incluímos a cidade no roteiro como parada de almoço, no descontraído Yellow Shack Café.

Nova Zelândia em 12 dias - Springfield donut
A escultura mais famosa de Springfield. #SimpsonsFeelings

Em Christchurch

Tínhamos uma tarde em Christchurch, apenas – e a cidade não estava no nosso roteiro original, foi uma adaptação em cima da hora. Em 2013, quando estivemos em Christchurch, o centro da cidade estava todo inacessível, com prédios ainda condenados à demolição. Desta vez, o centro estava parcialmente aberto, e pudemos ver de perto a destruição que os terremotos que afligiram a cidade em 2010 e 2011 fizeram.

Nova Zelândia em 12 dias - Catedral de Christchurch
O que ficou de pé da catedral de Christchurch.

Vários lotes vazios, onde antes prédios existiam – para o centro de uma das maiores cidades de um país, a cena é desoladora. A caminhada gera um mix de tristeza e otimismo. Christchurch acabou – e está renascendo, com um projeto de urbanismo sustentável que pretende ser dos mais avançados do mundo. O processo como esse projeto foi arquitetado e está sendo desenvolvido pode ser apreciado no filme “The Human Scale”, um dos melhores documentários urbanísticos a que assisti e que recomendo MUITO.

Roteiro Nova Zelândia em 12 dias - Escultura em Christchurch
“The Chalice”, escultura em metal de Neil Dawson em frente à Catedral de Christchurch anterior ao terremoto e que sobreviveu a ele.

Na Catedral de Papelão

Aproveitando que paramos em Christchurch, estava curiosa para ver a Cardboard Cathedral, ou Catedral de Papelão, projeto do arquiteto japonês Shigeru Ban, um especialista em “arquitetura pós-desastre”. Não sou muito fã de visitar o interior de igrejas, mas esta tinha este componente arquitetônico transicional que me intrigava: os pilares e a estrutura básica da igreja são feitos de tubos de papelão. Os vitrais são bem coloridos, e a catedral supostamente consegue durar 50 anos – ou até outra catedral ser construída em Christchurch.

Roteiro Nova Zelândia em 12 dias - Cardboard Cathedral
Cardboard Cathedral

Chegamos em Kaikoura ainda de dia. Nesse momento da viagem, eu era puro riso de felicidade. Afinal, não acreditava que estava de volta ali, na minha cidade favorita da Nova Zelândia, onde a vida marinha esbanja saúde. Para celebrar, fomos todos jantar e tomar vinhos no The Sonic, um pub/restaurante de frente pra praia, com uma atmosfera de bar universitário, mesa de sinuca e um barco no teto. I love Kaikoura!


Viaje Conectado

Roteiro Nova Zelândia em 12 dias – Dia 6

Nascer do sol em Kaikoura

O dia era para curtir o mar de Kaikoura, claro. André e eu madrugamos para fotografar. Mal saímos de casa, Kaikoura nos presenteou com um nascer do sol de pintura. Além de um arco-íris completo dos mais lindos que já vi! #PuroAmor

Arco-íris - Kaikoura

Depois do café da manhã no Kaikoura Food Company (que era perto do nosso hotel), íamos fazer um passeio de barco para ver as baleias cachalote. Entretanto, apesar do tempo bom, o vento começou a tomar uma velocidade insana, de até 50 nós, e nosso passeio foi cancelado. Sabendo como era o mar de Kaikoura num dia calmo, o que eu via era realmente assustador.

Nova Zelândia em 12 dias - mar de Kaikoura
O mar não estava pra peixes nem mallas.

Visita a Fazendas em Kaikoura

Para não perdemos o dia, arrumamos um plano B de última hora: uma visita a uma fazenda com diversos animais de criação (a Kaikoura Farm Park). Tinha galinha, gato, porco, ovelha, pavão, coelho, wallaby, burro, cachorro, lhama, vaca, enfim, um verdadeiro animal farm.

ATUALIZAÇÃO: Devido ao terremoto em Kaikoura em 2017, esta fazenda fechou. 🙁

Animal Farm - Kaikoura - Roteiro Nova Zelândia em 12 dias

Os bichos ficavam meio soltos e a gente andava entre eles, passando a mão na cabeça dos mais mansos, alimentando os que a gente podia alimentar. Soava como um passeio blé, mas foi super-divertido! A fazenda também oferece estadia em “quartos bizarros” – wacky stays – e você pode dormir numa teepee como os índios americanos, ou num vagão de trem.

Animal Farm - Kaikoura

Da fazenda de animais, fomos para uma fazenda de lavandas que fica nas vizinhanças. Andar por um campo de lavandas das mais diversas variedades possíveis é das coisas mais deliciosas que existem no mundo botânico, porque o aroma é simplesmente arrebatador.

Fazenda de lavanda - Kaikoura - Roteiro Nova Zelândia em 12 dias

Uma delícia! A visita foi curta, porque a fazenda não era tão grande, mas valeu a pena.

Banco - Fazenda de lavanda - Kaikoura

No Irish Pub de Kaikoura

E, terminamos ficando ali por perto mesmo para almoçar no Irish pub histórico Donegal House (que também funciona como hotel). Kaikoura foi onde membros da família Boyd se estabeleceram, depois de rodarem a Nova Zelândia atrás de ouro. O Irish Pub é gerenciado por seus descendentes diretos, e hoje único lugar de atmosfera 100% irlandesa em Kaikoura. O jardim é de um bucolismo contagiante, com vista para o Mount Fyffe. Ainda mais, o pátio é ideal para longas conversas… Ali, comi o melhor fish & chips da viagem toda. E, claro, a Guinness não decepciona.

À tarde, íamos fazer o snorkel com os leões marinhos, mas o vento ainda estava impossível. Portanto, nosso encontro com eles vai ficar pra próxima vez que formos a Kaikoura… Porque haverá uma próxima vez, lógico!

Trilha da Península de Kaikoura

A tripulação 70+ do nosso grupo decidiu ir descansar. André e eu fomos, então, para a península de Kaikoura fazer a trilha do parque. A trilha é super-fácil, e nela as vistas são as típicas da Nova Zelândia: deslumbrantes. Ali vive uma colônia enorme de lobos marinhos da Nova Zelândia (o New Zealand fur seal, que apesar do nome é na realidade um tipo de leão marinho – família Ottariidae. Porque as focas de verdade são da família Phocidae).

Nova Zelândia em 12 dias - Trilha em Kaikoura
A vista do alto da trilha da península de Kaikoura.

O mar continuava extremamente revolto. Além disso, nosso carro estacionado levava um banho de água salgada a cada onda que quebrava por ali. Mas a quantidade de fur seals era enorme. Observamos diversos comportamentos, com toda a certeza um paraíso para biólogos! O vento na trilha era surreal de forte, e por vezes me sentia uma pipa, prestes a voar.

Quando saímos de lá, o pior da ventania passara. Mas o dia já terminava. Então voltamos pro hotel, onde fizemos um happy hour básico com a família.

Réveillon na minha pequena cidade favorita, Kaikoura

Era noite de Réveillon.

À noite, fomos jantar no Green Dolphin, um restaurante ótimo com vista pro mar que privilegia o uso de produtos locais, como o crayfish. Era antes da meia-noite quando saímos de lá, após brindarmos ao ano novo antecipadamente. André e eu terminamos passando a virada de verdade num bar animadésimo da cidade, o Strawberry Tree. Onde, por fim, uma banda local tocava e a galera pulava sem parar.

Feliz Ano Novo!

Fur seal - Kaikoura

Para ler outras paradas deste roteiro

Queenstown, Fiordland e Wanaka

Cruzamento para Ilha Norte, Wellington e Rotorua

Hobbiton, Auckland e mergulho em Poor Knights

P.S.

  • Este post é uma parte do roteiro pela Nova Zelândia em 12 dias. 
  • Se este post lhe ajudou no planejamento do seu roteiro à Nova Zelândia e você gostaria de contribuir para a manutenção deste site, use este link. Ou utilize um dos banners dos programas afiliados para finalizar sua viagem Recebo uma microcomissão destes parceiros do blog, que ajuda a manter este site ativo.  A blogueira desde já agradece seu interesse e colaboração! 🙂

Booking.com


833
×Fechar