Sexta Sub: criopreservação de corais

por: Lucia Malla Austrália, Ciência, Corais, Havaí, Sexta Sub

Eis que me chegou no email esta semana via André uma notícia do UOL sobre criopreservação de corais. Ele me enviou o link por uma coincidência deliciosa. Afinal, a reportagem comentava em português sobre o trabalho da Mary Hagedorn, pesquisadora do Smithsonian e que divide o laboratório com o André aqui no Havaí. A pesquisa específica dela já foi comentada neste blog em 2009, quando entrevistei a Ginnie, sua auxiliar de laboratório.

Criopreservação de corais - Grande Barreira de Corais Australiana

O projeto de criopreservação de corais

Basicamente, Mary coordena um projeto enorme de criopreservação do esperma e de embriões de diversas espécies de corais pelo planeta. A idéia é formar um banco de espécies para preservar a biodiversidade coralina. Em tempos de mudanças climáticas, epidemias de branqueamento de coral e poluição sem fim, a proposta de ter um backup funcional é, além de ímpar (quem liga pra invertebrados?), muito preciosa.

E Mary está conseguindo aos poucos, com obstinação, dedicação e muito sorriso. Ela é, afinal, das cientistas mais bacanas e simpáticas com quem já conversei. Oficialmente, ela é pesquisadora do Smithsonian. Mas como afiliada da UH, sua “base” de pesquisa termina sendo aqui no Havaí, assim como seu laboratório (e seu fofo cachorro Jasper). Mary, entretanto, não para de correr atrás do seu objetivo-mor, preservar a biodiversidade de corais do planeta. Um pedacinho de recife de cada vez, bem na mentalidade formiguinha mesmo. Não é fácil criopreservar corais, porque a técnica para fazê-lo ainda precisa de diversos retoques. Mas o time da Mary não se cansa, e vai no ritmo de passinhos angariando boas conquistas.

Cientistas de coral em trabalho de campo no Havaí
Mary e Ginnie em ação. Foto gentilmente cedida pela Ginnie.

Salvando a Grande Barreira de Corais da Austrália

A notícia do UOL falava sobre o banco já montado e armazenado da maior jóia em termos de biodiversidade marinha: a Grande Barreira de Corais Australiana. 70 milhões de espermatozóides e 22 bilhões de embriões, o que soa muito, mas não é tanto assim quando falamos sobre o mundo microscópico. Mas já é um excelente início, e que nos faz renovar a esperança num futuro ambientalmente mais bacana.

Abaixo, deixo o vídeo das 3 pesquisadoras que criopreservaram os corais da barreira australiana:

Scientists Look to Cryogenics to Preserve Coral… by National Geographic

Inspirador, não?

Tudo de corais sempre.

Booking.com



260
×Fechar