Pela trilha de Mahaulepu no Kauai

por: Lucia Malla Havaí, Kauai

O Kauai é uma ilha especial para quem curte fazer trilhas. Afinal, são inúmeras opções, dentre elas algumas consideradas as melhores do mundo. Entretanto, há uma trilha bem tranquila, de fácil acesso e com uma vista sensacional por todo o caminho. É a trilha de Mahaulepu, em Poipu. (Em inglês, Mahaulepu Heritage Trail.)

Trilha de Mahaulepu - Kauai
Trilha de Mahaulepu: apesar de menosprezada no Kauai das tantas belezas, é fácil e com vistas que não deixam a desejar.

Apesar de lindíssima, a trilha de Mahaulepu está no Kauai, né? A ilha havaiana notoriamente conhecida pelas paisagens mais espetaculares que vocês podem imaginar. O que me leva a crer que esta trilha, em qualquer lugar do mundo, seria um super-destaque do turismo. Mas no Kauai, com a concorrência acirrada de outras vistas cênicas deslumbrantes, ela se torna apenas “mais uma”. O que é quase um pecado.

Neste post, ensino o caminho das pedras (literalmente) para vocês curtirem ao máximo esta trilha que é discretamente sensacional. E imperdível.

Onde fica?

Mahaulepu Beach fica na costa sul do Kauai, no Havaí. A trilha beira o costão lindíssimo de Poipu até a praia de Mahaulepu na baía de Kawailoa, um pouco mais ao norte. São cerca 3.5 quilômetros de distância em cada sentido, ou seja, aproximadamente 7 quilômetros no total.

Mapa - trilha de Mahaulepu
Mapa da trilha de Mahaulepu, adaptado a partir daqui.

99,99% das pessoas (DataMalla) começa a trilha pelo canto esquerdo da praia de Shipwreck em Keoneloa Bay, onde fica o Grand Hyatt Resort. Estaciona no beach park ao lado do hotel e anda dali. Mas, tecnicamente, o começo oficial da trilha fica numa rotatória acessível pela Pe’e Road. É ali que fica o estacionamento “oficial” da trilha.

Por estar próxima à zona hoteleira de Poipu, onde boa parte dos visitantes se hospeda, acho esta uma trilha ideal para uma manhã ou tarde de aventura num dia de “descanso” dos passeios mais populares da ilha.

Condições da trilha de Mahaulepu

Esta é uma trilha muito fácil, ideal para quem quer apreciar a paisagem. Em geral, as condições estão boas para a caminhada. Mas também não espere pavimentação; a trilha é, por boa parte, na areia da praia ou entre as rochas que formam a região. É uma trilha que dá pra fazer com crianças maiores. Mas não dá pra levar carrinho de bebê, porque o terreno é recortado e desnivelado demais. Além disso, há um trecho imenso gramado que margeia um campo de golfe e uma área de vegetação similar à restinga.

Partes da trilha têm bastante kiawe.

A marcação da trilha não é muito boa. Mas em geral, você verá bastante gente fazendo a mesma todo dia. Isto porque a trilha é um ponto popular de caminhadas e corrida entre os moradores da região. Além disso, é só margear o mar, então não tem como se perder. Afinal, todos os caminhos levam a Mahaulepu. 😀

Por ser em área costeira, há trechos longos sem sombra. Portanto é importante levar água e chapéu para se proteger contra o sol.

História da trilha de Mahaulepu

Os antigos povos polinésios que chegaram ao Havaí vindo das Ilhas Marquesas entre 200 e 600 D.C. provavelmente aportaram na baía de Keoneloa, onde fica Shipwreck Beach. Fizeram acampamento temporário na área. Ainda hoje existem resquícios arqueológicos deste grupo ali, inclusive um heiau (monumento religioso) enorme para Kane’aukai. Este era uma criatura mítica que aparecia como homem e tronco de árvore, vivendo ao sabor da corrente no oceano.

Pontos de destaque da trilha de Mahaulepu

Na beira do campo de golfe, o penhasco avermelhado.

Em linhas gerais, quando fiz a trilha de Mahaulepu, a dividi em quatro “grandes segmentos”. Em primeiro lugar, vem a área calcária que sai de Shipwreck Beach. Em segundo lugar, vêm as dunas fossilizadas de Makawehi. Depois vem a área do campo de golfe. E por fim, a caverna de Makauwahi perto da praia de Gillins. Conto abaixo um pouco de cada uma destas partes.

O calcário recortado de Shipwreck Beach

Trilha de Mahaulepu - Shipwreck Beach - Poipu

A trilha começa com uma pequena subida sobre a pedra espetacular que fica no canto esquerdo de Shipwreck Beach. Minha história com este pedaço de praia é particularmente romântica, por isso amo aquela vista e amo estar ali sempre. <3

De cima da rocha, a vista da praia começa a nos entorpecer de tão linda. É simplesmente o oceano Pacífico, com toda sua grandeza, beleza e força. A rocha ali é calcária, fruto de um processo geológico vulcânico aliado à erosão pelas ondas que vem acontecendo desde a formação da região de Koloa no Kauai a cerca de 1,5 milhão de anos.

Shipwreck Beach - Kauai
Pros aventureiros corajosos, #ficadica.

Muita gente pula daquela pedra. É bem alto, e eu particularmente nunca tive coragem de fazê-lo. (Tenho bastante receio de pular em fundo semi-pedregoso.) Mas para quem se anima… Saiba que é um ponto popular entre a garotada que quer liberar uma adrenalinazinha marota. Só para avisar: não tem resgate por perto.

As dunas fossilizadas de Makawehi

Dunas de Makawehi - Kauai
Dunas fossilizadas de Makawehi.

Logo no início da trilha, a gente meio que não percebe, mas estamos andando sobre penhascos formados por dunas de areia. Estas dunas foram fossilizadas por um processo natural de compactação. O processo geológico de compactação ocorreu por uma combinação de recifes de corais próximos ricos em uma espécie de alga vermelha que acumulava calcita. Estes recifes ficaram secos quando o mar diminui na última glaciação. Expostos, receberam cinzas vulcânicas das erupções que ocorriam no Kauai, ajudando na fossilização de espécies marinhas que ali viviam. A água da chuva foi aos poucos percolando, compactando e ajudando na precipitação da calcita que ali se acumulara, formando um solo que vai do amarelado ao vermelho intenso. Depois da última glaciação, quando o mar subiu novamente, aos poucos foi erodindo este solo, formando as estruturas que vemos hoje, que atraem turistas para admirá-lo.

Vistas e mais vistas lindas. Ah, o Kauai!!…

Estes penhascos são uma parte especialmente linda da trilha. O litoral ali é todo recortado e forma esculturas naturais, que surpreendem a cada trecho. O contraste com o solo avermelhado e o mar super-azul é impactante. Não há quase praias “de verdade” ali para você se banhar, mas nem precisa. A vista é sensacional.

Costão de Makawehi.

Não se deve remover nada da trilha. Afinal, os fósseis preservados são a grande atração, e devemos deixá-los para serem apreciados também pelos próximos caminhantes.

Na beira do campo de golfe

Trilha de Mahaulepu - Kauai - campo de golfe
A trilha passa literalmente dentro de um campo de golfe à beira-mar.

O trecho de trilha que margeia o campo de golfe do Poipu Bay Golf Course é longo. Estamos no campo mesmo, na beiradinha, por um trecho, mas depois, mesmo de volta à trilha, ainda há campo de golfe do outro lado.

No trecho do campo de golfe, preste atenção nas bolinhas de golfe para não se machucar com uma delas.

Ali, o solo é ainda mais avermelhado, fruto do mesmo processo geológico descrito acima. Há várias reentrâncias naturais no costão e uma vegetação rasteira cheia de plantas de kiawe, uma planta invasora muito fácil de ser vista no Havaí.

Estábulo - Kauai
Estábulo na trilha de Mahaulepu.

Ao final deste pedaço de trilha, que começa a parecer mais uma estrada off-road, há um estábulo. E já temos uma vista cênica espetacular: a praia de Gillin.

A caverna de Makauwahi

Caverna de Makauwahi - Kauai
A caverna de Makauwahi.

Logo no início do trecho final da trilha, a gente chega na caverna de Makauwahi. Esta é a maior caverna calcária do Havaí. A caverna tem um buraco enorme no solo de origem calcária, que lembra uma dolina. Há uma parte coberta, mas boa parte colapsou. O que vemos portanto da trilha é uma vista de cima da área colapsada.

Nesta caverna, os antigos havaianos enterravam seus mortos. Portanto, há um valor cultural e espiritual muito especial à área. O valor arqueológico e biológico também é único, já que diversoso fósseis animais e de plantas, além de artefatos ancestrais foram escavados dali.

Hoje, a caverna é uma área de proteção histórica e ambiental. Dentro dela, há pequenos lagos naturais. Algumas espécies animais cegas vivem ali na escuridão. O projeto de restauração do local vem plantando palmeiras nativas da região ameaçadas de extinção na tentativa de resgatar estas espécies. Muito bacana.

É possível visitar o interior da caverna diariamente das 10:00 às 16:00. A entrada é gratuita, mas há um donation box. Portanto, espera-se que você deixe uns 10 dólares ali. Dá pra fazer visitas guiadas 4 vezes por semana, às quartas, sextas, sábados e domingos, das 10:00 às 14:00.

Jardim com jabutis

Jabuti - Trilha de Mahaulepu - Kauai
Jabuti da Lida Field of Dreams.

A trilha de Mahaulepu é linda, etc e tal. Mas assim que descemos da parte do penhasco, há uma inusitada atração: um jardim com vários jabutis.

É o Lida Field of Dreams. Está no quintal de uma casa. Entretanto, a cerca é aberta e você pode entrar e observar os bichos e sua vagareza típica. Ver os jabutis é, sem dúvida alguma, uma surpresa. Afinal, onde mais no Kauai a gente vê jabutis?

A criançada adora. E quem não curte? Lembrei logo do sítio do picapau amarelo. #viajei

Gillin Beach - trilha de Mahaulepu
A vista da Gillin’s Beach, já parte da praia de Mahaulepu.

Depois do jardim, a trilha fica toda na praia de Gillin, que já é parte da praia de Mahaulepu. A praia aqui é um pouco brava, portanto requer cuidado. O morro atrás, o Kamala Point, dá um contorno maravilhoso à paisagem. Logo depois dele, está a praia de Mahaulepu propriamente dita. Esta sim, ótima para um bom mergulho.

Acompanhantes da trilha de Mahaulepu

Por todo o trajeto, a gente vê lá de cima diversos peixes e tartarugas nadando no mar. Por estarmos do alto e pela clareza da água, é fácil reconhecer diversos destes animais.

Tartaruga marinha - Kauai
Tartaruga marinha ou honu, em havaiano.

Há também a possibilidade de esbarramos em uma foca-monge havaiana. A região de Poipu tem algumas focas residentes, e de vez em quando elas buscam refúgio para descansar em algum recanto da trilha. Vi diversas focas-monges em Poipu, porém nunca vi na trilha. Mas não perco as esperanças…

De outubro a abril, ainda dá pra observar diversas baleias jubartes passeando por aquele litoral. Elas estão por todo o Havaí nesta época, mas como a gente está no alto na maior parte da trilha, fica bem mais fácil vê-las. E se encantar com os espirros e pulos delas. <3

É isso aí. Espero que aproveitem esta trilha facílima durante sua visita ao Kauai.

Tudo de Havaí sempre.

Booking.com


230
×Fechar