Visita do Lula à Coréia

por: Lucia Malla Antigos, Blog, Blogosfera & mídia social, Coréia do Sul, Mallices, Política

Posts condensados da Visita do Lula à Coréia do Sul em 2005.

Preparativos

De segunda até quinta-feira, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva estará na Coréia do Sul, para participação em um seminário de investimentos e dar uma palestra no Sexto Fórum da ONU sobre Governância. Fiquei sabendo dessa participação através do grupo de brasileiros que encontrei em Seul há 2 semanas, no festival primaveril “Hi Seoul!”. Embora tenho críticas a algumas medidas adotadas por Lula – mas sempre tentando entender que a figura dele é representativa, que ele não governa sozinho, blábláblá – é uma oportunidade única de ver o presidente do meu país de cidadania num evento gratuito em outro país.

Decidi então ir a esse fórum: pedi dispensa do trabalho por meio dia, e estarei lá com meu super-kit “máquina fotográfica + laptop + AirPort”, tentando uma proeza que jamais me imaginei fazendo…

Estarei blogando ao vivo, direto de Seul, a partir das 9 da manhã de terça (horário coreano – 9 da noite de segunda horário de Brasília), a visita do Lula. (Eu sempre blogo em horário coreano, portanto, todas as menções a horários aqui devem ser ajustadas para o local onde o leitor está.)

Direto do COEX Mall, Auditório principal, onde será a abertura do evento da ONU. A palestra de abertura será ministrada por Lula. E como eu estive no mesmo lugar na quinta passada, não estarei tão perdida assim. A tarefa de ser pseudo-semi-jornalista é que me deixará perdida, pois nunca foi meu forte ir atrás de notícias in loco, sou uma leitora, acima de tudo. Enfim, desejem-me boa sorte… Precisarei.

Preparativos - COEX Mall
COEX Mall

Credenciamento

Hoje já comecei a me preparar para tal empreitada. Cadastrei-me através da Associação de Brasileiros na Coréia (ABC) para um possível evento/recepção com o presidente e os membros da comunidade brasileira (que é minúscula comparada com as de outros lugares onde morei). Serão permitidos apenas 100 membros, e pelo andar da carruagem, parece que haverá lugar sobrando, os brasileiros aqui são realmente minoria. Inacreditável: pode ser que nessa semana eu conheça ao vivo e a cores, de pertinho, o presidente do país. Muito louco pensar nisso, nunca imaginei mesmo. Não estava nos meus planos de viagens pelo mundo, mas já que a oportunidade pintou, não a desperdiçarei. Com fotos se possível, é claro.

Além disso, hoje passei o dia neuroticamente tentando organizar os detalhes: graxa no sapato, passar ferro nas roupas, testar a Internet sem fio, recarregar pilhas da máquina fotográfica, ler com cuidado os detalhes do evento.

E nessa confusão toda, ainda me apareceu domingo de manhã um email na minha caixa postal do rapaz responsável pelo site do EverestNews, para que eu traduzisse o último relato do Irivan pro inglês. Isso mesmo: eu acessei o site deles tantas vezes, e enchi tanto o saco do cara com perguntas de montanhismo (sim, eu sou uma malla) que ele me convidou pra essa nanoparticipação. Eu adorei, é claro. Afinal, estou traduzindo os brasileiros do Everest pro mundo. Assim que entrar no ar eu ponho um link aqui.

Atualização: Minha contribuição ao EverestNews está aqui.

Mais com menos

Como parte da minha dedicação exclusiva à visita do Lula a Coréia do Sul, blogarei nesses dias com maior freqüência e textos menores, com minhas impressões particulares de um evento que provavelmente estará na mídia brasileira sendo reportado de maneira impessoal.

Poderemos chamar no melhor estilo diarinho de “minhas impressões da visita do Lula na Coréia”. Aguardem cenas do próximo capítulo a partir de terça.

Nos jornais coreanos

A visita do Lula a Coréia do Sul já está nos principais jornais coreanos. É dito pelo Korean Herald que dos presidentes que aqui estarão, o brasileiro é um dos mais esperados.

Interessante a entrevista do Lula ao Chosun, vale dar uma conferida.

E aproveitem para passear um pouco pelos jornais da Coréia do Sul. A perspectiva da notícia muda, e pode ser uma boa pausa na mídia convencional americana e brasileira. Minha dica pessoal: notícias sobre células-tronco e sobre novas tecnologias de celular.

E se quiserem sentir um pouco como é estar “lost in translation“, vejam a página do jornal Joongang e divirtam-se…

Sobre o Fórum da ONU

Este é o sexto forum sobre governância que a ONU promove – o primeiro foi nos EUA, seguidos por Brasil, Itália, Marrocos e México. A temática de “reinventar o governo” já abriu espaço no passado para discussão sobre as instituições democráticas, para o e-governo, para alianças para a democracia. Neste fórum, o tema é “Toward Participatory and Transparent Governance” – algo como “Em direção à Governância Participativa e Transparente”. Além de Lula, os presidentes da Tailândia, Tajiquistão, Coréia do Sul, Austrália e vários outros representantes de governos estarão passeando por Seul nestes dias.

A lista de agências ligadas à ONU que contribuem para o evento é longa. Veja aqui os objetivos do fórum e maiores detalhes. Aos mais curiosos, a brochura oficial pode ser baixada da internet, basta ter o Adobe Reader funcionando no computador.

A visita do Lula também já está obviamente na primeira página da Agência Nacional de Notícias.

De tabela

E não é que a visita do Lula já está trazendo benefícios indiretos à comunidade de brasileiros na Coréia antes mesmo dele chegar?

Vaidade feminina

Acabei de chegar do salão, onde fui dar um jeito na minha juba querida para o grande evento de amanhã, e talvez depois de amanhã (caso se concretizem os planos de uma reunião dos brasileiros com o presidente). Deixarei de lado por alguns dias o meu visual mix de “pronta-pra-expedição-na-Amazônia” com “pseudo-patricinha-rebelde” que será trocado devidamente por um visual mais formal, apropriado ao momento. Apenas acrescentei mais uma preocupação a minha já lotada agenda de preocupações para amanhã: agora tenho que torcer para que não chova, senão minha chapinha no cabelo vai pro beleléu.

No salão, vi algo genial. Eles tinham 3 computadores com monitores gigantes de alta definição, recheados de games. Pra quê? Pras crianças brincarem enquanto as cabeleireiras fazem seu trabalho. Perfeito! A criança, entretida com os joguinhos, mal pisca o olho, quiçá mexer a cabeça, o que torna o trabalho de cortar e embelezar o cabelo dos baixinhos muito mais simples pro cabeleireiro. Idéia a ser copiada, sem dúvida.

E não consegui fazer minha unha. Vou ter que improvisar em casa mesmo. Seja o que Darwin quiser.

Outras histórias

Chego em casa, e minha amiga coreana tinha ligado. Sua mãe quer informações de “insider” sobre a visita do Lula. Quer histórias, fábulas sobre nosso Presidente. Alguém pode me contar alguma porque minha cabeça está em estado de “amnésia letárgica com foco único à visita presidencial” e eu não consigo me lembrar de nada que já não esteja na mídia coreana totalmente destrinchado.

[suspiros]

Mas está uma noite linda de lua cheia lá fora, e a sensação de conforto e tranquilidade me abraça de repente.

Com a Posco?!?!

Como eu já disse numa discussão no Smart e repetido aqui, a Posco é uma das 5 grandes empresas coreanas, que detém o mercado siderúrgico e afins. Estive em 2004 em Pohang, onde está a empresa, e o tamanho da fábrica é realmente impressionante: toma quase toda a faixa litorânea da cidade, cobrindo tudo com aquela poluição siderúrgica que só quem passou a infância em Vitória/Vila Velha ou Volta Redonda sabe bem o que é…

E agora, como efeito da visita do Lula à Coréia, um acordo privado bilionário entre 2 grandes produtoras de aço mundiais se realiza. Vitória brasileira, sem dúvida.

Siderúrgica Posco - Pohang
Vista aérea da siderúrgica da Posco em Pohang, costa leste da Coréia do Sul.

Logística

A logística de amanhã não me sai da cabeça. O receio do fiasco, principalmente, que é o maior de todos os problemas que paira no meu cérebro no momento. Mas será que vai dar certo?

Problema número 1: como despertar

Normalmente, o que me acorda é um despertador laranja endotérmico da família dos felinos que pula na cama pontualmente (parece até que ele é suíço e não havaiano) às 7 da manhã com grunhidos de fome. Entretanto, preciso que ele me desperte amanhã às 5. Como alternativa, há o alarme cujo volume máximo eu não escuto direito. Em que confiar então?

Catupiry, não me decepcione.

Problema número 2: A ida pra Seul

Moro a 1 hora e meia de metrô do COEX Mall, e quando você sai da estação lá, ainda precisa andar uns 10 minutos por dentro do shopping para chegar no Centro de Convenções. Ainda bem que será de manhã cedo e o BodyShop estará fechado. Sem distração é mais fácil chegar ao destino final, enfim.

Entretanto, nada é previsível quando a viagem de metrô inclui uma troca em Sadang às 7 da manhã. Sadang é o equivalente coreano à estação da Sé em São Paulo, com direito a guardinha socando pessoas no trem e filas quilométricas, naquelas cenas que mais parecem saídas de Tóquio.

Problema número 3: a conexão à Internet

Tudo nessa empreitada maluca de blogar a visita do Lula dependerá da conexão à rede. Claro, tenho um plano alternativo. Mas estou confiando que meu computador não vai dar chilique algum ao ser ligado em wifi no COEX.

E só pra deixar claro mais uma vez: eu estou experimentando ser pseudo-jornalista por um dia (talvez 2). Mas nunca fiz isso na vida antes. O processo inteiro é passível a falhas humanas ou mecânicas, além de atrasos inexplicáveis. Tudo que está/será escrito é uma perspectiva pessoal, de uma brasileira no exterior vendo o presidente, portanto.

É o diário da Lucia Malla sobre a visita do Lula na Coréia.

De saída

São quase 6 da matina, estou de pé, e pronta para sair a qualquer momento pra mais uma aventura. (Pensando bem, o clima “expedição” que eu vivo normalmente não é tão diferente de agora…)

Desejem-me boa sorte, e que nenhum mega-imprevisto aconteça – sim, eu já espero pequenos imprevistos.

Será que o Lula já acordou de seu jet-lag?

Seul, aí vamos nós.

O Fórum da ONU sobre Governância

Antes de mais nada, desculpem o atraso. Nao foi ao vivo – nao tinha internet aberta dentro do auditorio. Mas ai vai meu relato.

Nossa viagem de metro foi anomalamente tranquila. Metro vazio, e terminamos chegando bem mais cedo, as 7:30. COEX cheio de segurancas, muito mais que nos dias normais – o que nao eh uma novidade, aliás, vista a presenca de chefes-de-estado e pessoas ilustres do poder. Deu tempo de pegar os crachas com muita calma, e tomar um cafe. No cafe, encontramos o primeiro brasileiro, chamado Geraldo Machado, baiano simpatico com quem trocamos então um bom papo.

Ao passar pela seguranca, pediram que ligassemos toda a parafernalia eletronica que eu carregava: maquina fotografica, iPod e laptop. Entramos no Convention Hall, onde a Cerimonia de Abertura estava para comecar. Logo encontramos a midia brasileira: rede Globo, Folha de Sao Paulo, Estadao… Havia o sinal de wireless internet, mas o sinal estava fechado, com acesso restrito a sei la quem, porque a imprensa brasileira tambem nao conseguia conexao. Uma reporter de video da Globo acabou de passar, mas eu sou pessima com nomes, nao lembro, e tambem nao consigo ler seu cracha.

Na terceira fileira do auditorio, o ministro Palocci. E nos estamos sentados pra la da decima fileira, ja que as da frente sao de comitivas oficiais.

E nesse momento, um coral coreano, com as mulheres vestidas em trajes tipicos, introduz um pouco da cultura local. Aguardamos ansiosamente a chegada do Lula.

Minuto a minuto

9:15 am – O coral esta saindo do palco. A moderadora esta discursando um pouco, e em breve os chefes de estado entrarao.

(Parenteses: boa parte dos brasileiros ainda esta de peh. Os demais estrangeiros, em sua maior parte – com excecao da imprensa geral – estao sentados. Sera isso um comportamento tipico nosso, uma leve falta de respeito salpicada de sorrisos simpaticos?)

Presidente Roh

9:30 am – Presidente Roh, da Coreia do Sul, entrando ao lado de Lula, e sendo aplaudido. Uma musica coreana ao fundo, parece uma marchinha marcial de qualidade duvidosa. … aberto o forum.

Discursos em coreano. Meu tradutor de ouvido nao esta funcionando direito, e nao tem portugues, e sim ingles, espanhol, frances e chines. Presidentes presentes no momento: Tailandia, Tajiquistao e Brasil, alem do coreano. Um reporter subiu na cadeira na minha frente pra tirar fotos do Roh – ainda bem que meu namorado eh alto e suplanta o baixinho.

Mais discursos…

9:45 am – Discurso de um dos secretarios da ONU, Jose Antonio Campo (?), em ingles. Outro reporter brasileiro se posta na minha frente em peh. O iPod jah estah ligado, esperando pelo momento em que Lula comecarah a falar.

O reporter da Globo estava nos filmando agora. Serah que estaremos no Jornal Nacional de amanha? 🙂

E que discurso mais enche-linguica. Serah isso politica, essa falta de objetividade na oratoria? Nao consigo tirar uma sentenca sequer, a nao ser: “Obrigada a Coreia e demais paises por participarem desse Forum para desenvolvimento da agenda da ONU.”

Lula

9:55 am – Comeca o discurso de Lula. E nao eh que ele tem mesmo a lingua presa? Brincadeirinha… Nao resisti. Discurso em portugues, aliás um bom alivio pra minha orelha sem esse tradutor desconfortavel. Eu estou vendo o Lula a menos de 50 m!!!!!!!!!!!!!!!!!

(E como ele estah rosado…)

Agradece ao bom recebimento pelo povo coreano. E comeca um discurso sobre democracia. E ele fala sobre fome e desemprego, como obstaculos a manutencao do caminho para a democracia.

Algumas frases captadas ao leu em seu discurso:

“Meu amigos e minhas amigas…”

“Um bom governante eh o que une razao com paixao.”

“A boa governancia implica tambem em boa administracao dos recursos naturais e meio ambiente.”

“A politica externa (…) eh importante para a defesa de nossos interesses comerciais.”

“Um mundo ameacado por armas de destruicao em massa, terrorismo, mas sobretudo por profundas desigualdades sociais.”

Lula termina seu discurso e eh modestamente aplaudido.

E eu então saio correndo atras de uma conexao para colocar isso no ar, antes dos jornais. A vantagem de conhecer o COEX vem aih – sei cada esquina de internet cafehs por aqui. Corro pro que eh mais escondido e perto, que sei que fica no primeiro andar.

Espero que tenha valido a pena, enfim.

Algumas fotos exclusivas

Visita do Lula à Coréia Fotos exclusivas
Presidente Lula em seu discurso na cerimonia de abertura do Forum Global da ONU sobre Governancia. (Visita do Lula à Coréia.)
Com seu “discreto” fone de ouvido, prestando atencao ao discurso do presidente Roh, da Coreia.
O coral coreano se apresentando na abertura
O presidente sul-coreano Roh discursando.
Blogagem no Auditorio do COEX.
Por favor, reparem no meu cabelo que levou horas pra arrumar, ok? 🙂

(Mais visita do Lula aqui.)

Um detalhe

Ao sair do auditório, dei meu cartão com o endereço do meu blog pra um repórter brasileiro nao sei de que jornal. Mas será que ele vai querer ler? 😉

Alguns fatos e questões pessoais

Primeira reportagem da Folha Online: até o momento não tinha entrado nada do forum.

Do Estadao Online: 23h17 horario de Brasilia

Primeira reportagem do Globo Online: No ar às 21h39, apenas relacionada ao Lula, não ao evento.

Primeira reportagem do UOL Ultimas Noticias: 0h44 horario de Brasilia

Blogagem da Lucia Malla sobre o Forum: 22h39 (horario de Brasilia).

E eu, como sempre questionando, me pergunto: qual a razao da diferenca de tempo entre todos – pequena, mas existente – visto que todos tinham tecnologia como a que usei a disposicao? Serah que a necessidade da informacao imparcial gera esse pequeno atraso – ateh o jornalista moldar o texto, por exemplo? E os jornais de TV, em que peh ficaram nessa historia? (Visto que obviamente nao tenho como saber.)

Ou seria este forum um evento menor na agenda de noticias do pais? Serah que estou valorizando demais um mero evento internacional – o presidente participa de zilhoes deles por ano…?

Duvidas, duvidas, na cabeca de uma brasileira…

Refletindo

Agora que a adrenalina diminuiu na minha corrente sanguinea, posso parar e pensar um pouco sobre o discurso do Lula. A impressao que tive foi a de que era um discurso antigo, que foi apenas rearrumado. Falou as mesmas coisas: sobre o Fome Zero, violencia, desigualdade social, a iniciativa brasileira do encontro com paises arabes… Parecia que eu estava lendo aquele discurso de jornal.

Veja bem: o tema do forum era “Em direcao a governancia participativa e transparente“. Onde estava a explicacao sobre transparencia no ato de governar que eu nao ouvi? Acho que meu ouvido viciado em ciencia pede objetivos claros, infelizmente. Nao estou acostumada a esse blablabla politico. Imagine se eu fosse num congresso de diabetes e chegando lah comecasse a versar sobre, sei lah, ecologia do Pantanal? Eu sei que o exemplo nao estah perfeito, mas essa foi a sensacao que eu tive ao ouvir o discurso. E nao foi soh o do Lula. Por isso que eu acho que essa eh a norma politica. Uma pena que meu ouvido realmente nao acha isso normal.

(Parenteses: um dos discursos, de um representante da OED (?), foi talvez o unico a chamar a atencao para o fator transparencia de governo, perguntando “Por que os governos nao sao transparentes?” e a partir daih discursando a respeito. Coincidentemente, foi o discurso que considerei mais articulado de ouvir.)

Mais Lula

A saga continua amanha, depois de uma merecida noite de sono: haverah uma recepcao ao presidente promovida pela Associacao de Brasileiros na Coreia a tarde, para 100 pessoas. Estarei lah com o meu namorado, a quem alias eu devo infinitos agradecimentos hoje pelo apoio irrestrito, por tolerar minhas “viagens na maionese” pela manha, e pelas discussoes levantadas, sempre com perspicacia, bom humor e cientificismo brilhantes.

Repercussão malla

Li todos os comentarios e agradeco muito, muito, muito a todos que me desejaram boa sorte e me deram forca. Que precisei, sim, afinal. Estou emocionada com a repercussao que essa experiencia teve, e principalmente com a experiencia em si pra mim. Se fiz um bom trabalho ou nao, nao cabe a mim avaliar no momento portanto. Apenas afirmo que me sinto feliz de ter conseguido fazeh-lo. Porque é minha primeira vez brincando de pseudo-jornalista. Eu sei, eu sei, repercussao na blogosfera eh tao valido como ser Miss Minisaia no Rodeio de Valinhos, blablabla… Mas eu gostei deveras de saber que meus familiares e amigos (velhos e novos) estiveram aqui e me apoiaram. A todos então, muito, muito obrigada.

🙂

Agora back to work que o tempo nao para, enfim.

Tudo de bom sempre.



196
×Fechar